15622673_686540428175956_6978157770305624168_n

Conheça o incrível trabalho do Projeto Nadando na Frente

19 de fevereiro de 2017

Blog2 comentários em Conheça o incrível trabalho do Projeto Nadando na Frente

Quem leva a natação a sério – ou já levou em algum momento da vida – sabe: nadar traz impactos e lembranças que ficam para sempre. Seja por ajudar a desenvolver disciplina, espírito de equipe, respeito, dedicação, pelas pessoas que se conhece e ficam para a vida, o impacto de nadar é grande. Foi do desejo de retribuir tudo que a natação o proporcionou que Edmilson Dezordo criou o Projeto Nadando na Frente, que completou 10 anos em 2016.

Com ajuda de empresários e percebendo que as piscinas de Ribeirão Preto ficavam ociosas em alguns horários durante a semana, Edmilson começou a colocar crianças da periferia da cidade para aprender a nadar. Hoje são 500 crianças atendidas gratuitamente. A grande maioria aprende a nadar no projeto. A presença já alcança três cidades: Ribeirão Preto (com três locais de aulas), Pirassununga e Orlândia.

15622326_686544694842196_1722228448077052270_n

Formado em educação física e professor de natação da Unip (Universidade Paulista), Edmilson chegou a ser campeão paulista na década de 1980, quando defendeu o Paulistano e Paineiras, clubes de São Paulo. Depois, treinou nos EUA com o técnico Ernest Maglischo, autor do célebre livro “Nadando o mais rápido possível”. De volta ao Brasil, Edmilson queria fazer algo para colocar mais crianças na piscina. Idealizou o projeto e no começo dava as aulas; hoje é responsável por treinar os professores.

O objetivo do trabalho é social e os frutos já são colhidos. Há alguns estagiários que começaram como alunos do programa e hoje já há sete nadadores do projeto, moradores de bairros de periferia, que conseguiram bolsa de estudo e chegaram à Universidade de Ribeirão Preto. A natação como oportunidade de uma vida melhor: tem coisa mais legal?

16716134_716734955156503_2784181423783890635_o

“O objetivo não é formar campeões, mas trabalhar a base social, para a criança ter oportunidade de ir para uma Universidade. Mas alguns se destacam. Nesses casos, encaminhamos para a faculdade para treinar”. Os melhores dos bairros vão para o Cava do Bosque, onde há uma piscina olímpica e um treino mais forte e materiais diferenciados, como touca de silicone.

O projeto incentiva que as crianças estudem: para participar do projeto, elas precisam mostrar comprovante que estudam na rede municipal ou estadual. Há ainda reuniões com os pais.

15621740_686171288212870_4251137472326311668_n

 

Em Ribeirão Preto todas as piscinas estão lotadas e há fila de espera. A ideia é levar o projeto para o maior número de cidades. “O importante é que seja gratuito. Quem tem interesse é só entrar em contato que fazemos reunião, dou treinamento, ajudo no contato com a Prefeitura e pode usar o nome Nadando na frente na cidade. Uma coisa muito importante é se preocupar com a segurança na piscina”.

Outra forma de ajudar é “adotando” as crianças. O valor mensal inclui o pagamento do professor, óculos, touca, sunga, materiais, cloro. Quem apoia ganha o Selo Social, autorizado pelo Ministério Público de São Paulo, que pode ser usado na marca da empresa,a embalagem e nota fiscal. Além desse apoio, o Projeto conta com a Lei do Incentivo ao Esporte.

Um dos padrinhos do projeto é Fernando Scherer, que já fez palestra para as crianças contando sua trajetória. Ano passado, o nadador do Pinheiros Guilherme Basseto também fez uma palestra para o Projeto.

Quem quiser ajudar, encontra mais informações no site do Projeto.

Mais informações: instutodeesportes@hotmail.com

15542318_685689931594339_5166216373084929939_n 15578763_686544198175579_4707450865318085953_n

15492119_685552581608074_2294577597200405833_n

unimeddd

Posts relacionados

2 comentários em "Conheça o incrível trabalho do Projeto Nadando na Frente"

  1. JULIO CESAR LUCIANO AMARAL disse:

    orgulho minha irma e eu ja nadei e um projeto muito bom mesmo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »