Desempenho brasileiro na natação

7 de agosto de 2012

Curiosidades, Londres 2012Nenhum comentário em Desempenho brasileiro na natação

A natação brasileira teve (no geral) um desempenho bem abaixo do esperado. Não me baseio em colocações, mas em tempos. A grande maioria piorou o melhor tempo sem trajes, com trajes então nem se fala. Pior que isso, a maioria piorou o melhor tempo do ano! Veja abaixo alguns números e desempenho de cada nadador brasileiro:

2 nadadores fizeram o melhor tempo da vida: Bruno Fratus (21”61 – 50 livre) e Felipe Lima (1’00”08 – 100 peito)

nadador igualou o melhor tempo da vida: Thiago Pereira (4’08”86 – 400 medley)

2 nadadores melhoraram suas marcas de trajes têxteis: Tales Cerdeira (2’09”77 – 200 peito), Thiago Pereira (1’56”74 – 200 medley)

nadadores melhoraram a marca do ano: Cesar Cielo 100 livre, Joanna Maranhão 200 medley, Henrique Barbosa 200 peito

recorde sul-americano (igualado) de um brasileiro: Thiago Pereira (4’08”86 – 400 medley)

finais: Bruno Fratus e Cesar Cielo (50 livre), Cesar Cielo (100 livre), Thiago Pereira (200 medley e 400 medley)

semifinais: Felipe Lima e Felipe França (100 peito), Tales Cerdeira (200 peito), Leonardo de Deus (200 costas), Joanna Maranhão (200 medley), Henrique Rodrigues (200 medley)

FEMININO

Daynara de Paula: 33º 100 borboleta – 1’00”14 (melhor marca do ano: 59”23) ; 26º 100 livre – 55”94 (melhor marca do ano: 55”54)

Fabíola Molina: 24º 100 costas – 1’01”40 (melhor marca do ano: 1’00”74)

Gracielle Hermann: 22º 50 livre – 25”44 (melhor marca do ano: 25”15)

Joanna Maranhão: DNS 400 medley ; 26º 200 borboleta 2’13”17 (melhor marca do ano: 2’09”62) ; 15º 200 medley 2’14”74 (melhor marca do ano: 2’14”26 feito na eliminatória)

MASCULINO

Bruno Fratus: 4º 50 livre – 21”61 (melhor marca da vida) ; 9º 4×100 livre – 48”98 lançado (melhor tempo ano: 49”48 na prova individual)

Cesar Cielo: 6º 100 livre – 47”92 (melhor marca do ano) ; 3º 50 livre 21”59 (melhor marca do ano: 21”38)

Daniel Orzechowski: 28º 100 costas – 55”16 (melhor marca do ano: 54”20)

Felipe França: 12º 100 peito – 1’00”01 (melhor marca do ano: 59”63) ; 15º 4×100 medley – 1’00”77

Felipe Lima: 13º 100 peito – 1’00”08 (melhor marca da vida)

Henrique Barbosa: 19º 200 peito – 2’12”05 (melhor marca do ano)

Henrique Rodrigues: 12º 200 medley – 1’59”58 (melhor marca do ano: 1’58”91)

João de Lucca: não competiu nenhuma prova

Kaio Márcio: 28º 100 borboleta – 53”14 (melhor marca do ano: 52”29) ; 17º 200 borboleta   – 1’56”99 (melhor marca do ano: 1’56”51) ; 15º 4×100 medley – 53”61

Leonardo de Deus: 21º 200 borboleta – 1’58”03 (melhor marca do ano: 1’55”70) ; 13º 200 costas 1’58”14 (melhor marca do ano: 1’57”38)

Marcelo Chierighini: não nadou provas individuais para comparação, mas fechou os dois revezamentos muito bem para 48”17 (melhor tempo do ano: 48”79 na prova individual)

Nicolas dos Santos: não nadou provas individuais para comparação, mas fez 49”68 lançado (melhor tempo do ano: 49”16 na prova individual)

Nicolas Oliveira: 24º 100 livre – 49”51 (melhor marca do ano: 49”09) ; 9º 4×100 livre – 49”31 (abrindo)

Tales Cerdeira: 9º 200 peito – 2’09”77 (melhor marca sem trajes tecnológicos)

Thiago Pereira: 2º 400 medley – 4’08”86 (melhor marca da vida) ; 4º 200 medley – 1’56”74 (melhor marca sem trajes tecnológicos) ; 15º 4×100 medley 54”45 (melhor marca do ano: 53”86)

Obs: Verifiquei apenas os resultados do Troféu Maria Lenk e Campeonato Sul-Americano. Se houve melhores tempos em algum Grand Prix, Campeonato Estadual ou Torneio Regional, por favor me corrijam.

Lembrando: Não desmereço os nadadores, os quais muitos se dedicaram todo um ciclo olímpico. Mas sabemos que são capazes de resultados muito melhores, os dados estão aí para comprovar isso. Piorar um pouco, às vezes faz parte. Mas há pioras muito bruscas, sem explicação. Por quê?

Posts relacionados

0 comentários em "Desempenho brasileiro na natação"

  1. Felipe Machado disse:

    Não existe ‘sem explicação’…o que acontece é que os nadadores brasileiros fazem o polimento para conseguir o índice das Olimpíadas, e quando conseguem, precisam fazer o polimento para competir lá…e todos sabem que o 2º polimento não dá um resultado tão expressivo quanto o 1º. É triste ver que os atletas treinam e conseguem ir, mas ficam desorientados quando chegam lá. Raríssimas exceções!

    • Carolina Moncorvo disse:

      Caro Felipe,

      O Maria Lenk aconteceu final de abril. Muitos pegaram índices em 2011. Em, no mínimo 4 meses, dá para fazer uma periodização completa de treinamento. Além disso, todos os nadadores do mundo, salvo exceções como Phelps e Lochte, estão polidos para a seletiva (algumas inclusive aconteceram mais próximas aos Jogos, como a seletiva alemã e americana). Poucos nadadores se podem dar ao luxo de não descansarem um uma seletiva, mas apesar disso vários melhoraram o tempo nos Jogos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »