Entrevista – Marco Veiga

26 de setembro de 2013

Curiosidades, EntrevistasNenhum comentário em Entrevista – Marco Veiga

Marcão em 2010 com Nicholas Santos, Cesar Cielo e Henrique Barbosa, todos pelo Flamengo

Voltar a morar no Rio de Janeiro e ser Head Coach do seu time de coração parecia perfeito. Chegou a dar muito certo em 2010 e 2011, quando o Flamengo conquistou seu primeiro título de Campeonato Absoluto depois de anos. Mas a alegria acabou em 2012, com a saída de Patrícia Amorim da presidência do clube carioca. A nova diretoria não quis saber de apoio aos esportes olímpicos e viu atletas como Cesar Cielo e Joanna Maranhão indo embora.

Marcão e Monique Ferreira, saíram juntos do ECP para o Flamengo em 2010

Marco Veiga continuou no clube, mas teve que abandonar as bordas da piscina e apenas coordenar o time de natação, que a partir dali era uma equipe juvenil. Marcão, como é conhecido por todos da natação, não é treinador para ser desperdiçado apenas na área administrativa. Todos sabem e ele mesmo sabe. É um dos melhores treinadores que o Brasil possui. E nada melhor que voltar à equipe que mais o consagrou: Esporte Clube Pinheiros. No Pinheiros, Marcão treinou nadadores como Monique Ferreira, Manuella Lyrio, Matheus Ribeiro, Armando Negreiros e muitos outros, onde grande parte alcançou seus melhores tempos até então.

Foi anunciado oficialmente esse mês a ida de Marcão para o clube paulista e a Swim Brasil fez uma entrevista bem legal com ele, para saber quais seus planos daqui pra frente:

SWIM BRASIL – As equipes do Rio chegaram a criar uma esperança. O que aconteceu? Quais as perspectivas para a natação carioca para os próximos anos?

MARCO VEIGA – As perspectivas não são muito otimistas, porque os clubes de futebol não tem uma preocupação ou melhor, incentivo para desenvolver o esporte OLÍMPICO. No meu antigo clube, foram aprovados os projetos de lei de incentivo no ministério dos esportes, e agora é elaborar estratégias para conseguirem captar recursos a fim de viabilizarem os esportes olímpicos. Acredito que o clube tenha grande potencial de captação, principalmente através de pessoa física, com uma estratégia bem elaborada de marketing poderá render boas cifras. Acontecendo isso, o clube retornará em 2015 bem estruturado e com uma equipe à altura de sua grandeza.

SB – Nadar em equipe de futebol é um empecilho?

MV – Não vejo dessa maneira. Alguns desses clubes de futebol têm uma tradição muito forte no nosso esporte, haja visto o número de campeonatos absolutos conquistados ao longo de sua história.

SB – O que o fez aceitar voltar às bordas da piscina?

MV – Saí das bordas das piscinas por uma questão circunstancial momentânea do clube, ainda estava como coordenador técnico da natação competitiva. Acredito que ainda posso contribuir muito com a natação brasileira e no desenvolvimento de atletas para alcançarem seus objetivos.

SB – Quais os seus planos no Esporte Clube Pinheiros?

MV – Fui contratado para assumir a supervisão técnica da natação competitiva do clube e participar de forma significativa na integração dos processos de interdisciplinaridade dos setores intervenientes no desempenho dos atletas.

SB – Quando irá para São Paulo? Já pretende iniciar um trabalho para o Open em dezembro?

MV – Já estou em São Paulo desde o dia 16 e já iniciei os trabalhos no clube. Estou me inteirando dos novos processos, conhecendo os profissionais envolvidos, os atletas, os técnicos, a nova estruturação, a sistematização do clube e montando a equipe para 2014.

SB- Quando você esteve no Pinheiros, foram anos de glória para o clube, com a parceria Marcão/Albertinho /Arilson. Como será a “parceria” daqui pra frente? Alguém assumirá o comando?

Marcão com Albertinho e Arilson, em uma fase imbatível do ECP entre 2007 e 2009

MV – A receptividade dos técnicos foi muito boa, a parceria existirá sempre, como sempre existiu na época em que trabalhei no clube. Estarei no comando da equipe juntamente com meus companheiros.

SB – Você já chegou a ir ao ECP esse ano? Conhece os atletas atuais? Já trabalhou com algum?

MV – Já trabalhei com alguns como Daniele Paoli, André Daudt, Bruno Fratus e Guliherme Guido (na ausência do Albertinho), Raphael Rodrigues e Filipe Nunes. Conheço alguns deles.

SB – Fale um momento na natação, como treinador, que mais te marcou.

MV – Troféu José Finkel de 2009 em Florianópolis, quando fomos campeões [equipe do Pinheiros] do Finkel no último dia e todos os atletas daquela equipe melhoraram os tempos. Treinei todos os atletas do clube com a Prof.ª Juliana Machado e o Prof. Fernando Cauduro, com exceção daqueles que foram para o Mundial de Roma.

SB – E Rio 2016? Quais são suas pretensões?

MV – Pretendemos colocar novamente o maior número de atletas da natação nessa olimpíada.

SB –  Deixe um recado para os leitores do blog.

MV – Aqueles que me conhecem e acreditam no meu trabalho, torçam por mim.

Posts relacionados

0 comentários em "Entrevista – Marco Veiga"

  1. Heitor Rodrigues disse:

    Boa sorte Marcão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »