Finkel – O melhor e o pior do primeiro dia [corrigido]

1 de setembro de 2014

Curiosidades, Troféu José Finkel 20142 comentários em Finkel – O melhor e o pior do primeiro dia [corrigido]

Começamos bem o Finkel. Primeiro dia de competição e já aconteceram diversos índices e recordes, tanto de campeonato, como sulamericanos. Fazendo um balanço, o dia foi muito mais positivo do que negativo.

MELHOR
Já são 6 nadadores com índice em provas individuais: Thiago Pereira e Thiago Simon (100 medley), João de Lucca e Nicolas Nilo (200 livre) e Etiene Medeiros e Guilherme Guido (100 costas).

Etiene Medeiros foi responsável por dois recordes sulamericanos hoje. Primeiro nas eliminatórias, nos 100 costas. E depois no final da etapa de finais, com as meninas do Sesi (Daynara de Paula, Priscila Souza e Jessica Cavalheiro) pelo revezamento 4×50 livre.

O mesmo revezamento, no masculino, do Minas ficou a apenas 1 centésimo do recorde sulamericano, com Felipe Martins, Cesar Cielo, Fernando Silva e Ítalo Manzine.

Além dos índices individuais, também classificaram-se para Doha as nadadoras Larissa Martins, Jessica Cavalheiro, Manuella Lyrio e Julia Volkmann Giovanna Diamante que conquistou a última vaga nadando a final B com 1’58”94 (pelo revezamento 4×200) e no masculino, além de João e Nicolas, Gustavo Godoy e Fernando Ernesto, que nadou a final B e conseguiu a quarta vaga por 2 centésimos.

Assistir a holandesa campeã mundial Femke Heemskerk dando um show nos 200 livre com o tempaço de 1’52”46 e parcial de 23”68 no revezamento, lançada.

Blocos não-genéricos!! Tão bom saber que não houve economia burra de comprar qualquer bloco para uma seletiva nacional.

PIOR
Não ter placar na cabeceira oposta é meio inadmissível. Não só pelas parciais, que são interessantes, mas para aumentar a segurança nas viradas, em caso de paredes escorregadias.

O que foram as provas de 100 medley, principalmente feminina? Tudo bem que a prova não valia ponto (o que eu também não entendo, honestamente), mas porque quase ninguém resolveu nadar? No feminino, 12 inscritas. No masculino, 13 participaram.

Apesar dos blocos serem perfeitos, colocar a lixa de reação em cima impediu o ajuste do pedal, o que perde o sentido da coisa. Já que estão com blocos tão bons da Myrtha Pools, porque também não utilizam um sistema de alto nível?

Foto de capa: Satiro Sodré/SS Press

Posts relacionados

2 comentários em "Finkel – O melhor e o pior do primeiro dia [corrigido]"

  1. PADRÃO FINA disse:

    Os blocos da Mirtha SÃO GENÉRICOS também ! Os blocos PADRÃO FINA são unicamente os blocos da OMEGA , ou serão outros blocos no mundial e 2016? Somos capazes de chamar de genéricos os blocos das marcas nacionais e não os extrangeiros? Aqui mesmo é citado que ao colocar o sensor de saída o suporte para os pés NÃO REGULAM !
    É cobrir um lado descobrir outro, tapar o sol com a peneira ! SÓ VAMOS TER BLOCOS OMEGA NO EVENTO TESTE?
    Uma vergonha esta falta de gestão na natação brasileira !

    • Carolina Moncorvo disse:

      Na verdade, os blocos da Myrtha Pools são compatíveis com a plataforma da Ômega, de forma licenciada. Sendo assim, podem ser usados com o sistema Ômega de cronometragem. São oficiais e utilizados em campeonatos como seletivas americanas. Por isso os considero não-genéricos.

      Blocos não-genéricos sequer possuem possibilidade de vincular a um sistema eletrônico.

      O maior problema é que a CBDA não está aproveitando essa função que o bloco Myrtha Pool fornece. Ao invés disso, eles inserem uma placa em cima do bloco (com outro tipo de sistema), que está impedindo os atletas de ajusterem o pedal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »