How Badly Do You Want It?

13 de novembro de 2014

Curiosidades2 comentários em How Badly Do You Want It?

Li esse texto essa semana, originado do YourSwimBook e achei que valia a tradução (meio livre). É um texto simples, mas que pode servir de cabeceira para muitos nadadores. Pode ajudar naquele momento em que chega-se a pensar em desistir, seja de um treino difícil, seja de um único tiro, seja do objetivo:

HOW BADLY DO YOU WANT IT? – O quanto você quer isso?

“Eu tinha um treinador que costumava nos avisar antecipadamente sobre as séries bem fortes.

Uma prévia.

Apenas uma pequena dica para que soubéssemos que algo bem ruim estava para acontecer no fim da semana, e que nunca tínhamos visto nada como aquilo. Que ia doer. Ia doer muito.

No treino de terça, após sobreviver a uma difícil série, ele jogava algo como, ‘Ah, apenas aguarde sábado de manhã’.

Um gemido coletivo. Algumas risadinhas disfarçadas.

‘Pode vir, treinador!’ alguém quase sempre iria replicar com um tom debochante.

Na sexta à noite, todos se arrastando após mais um treino, ele nos chamava uma última vez – ‘Garanta uma boa noite de sono. Porque vocês vão precisar!’

No momento em que a série era escrita no quadro no sábado de manhã, um quarto do grupo já tinha faltado no treino, com algum caso repentino de algo inventado, enquanto a maioria de nós, que estava lá, estava tão exausta da ansiedade e medo gerados nos dias anteriores, que tinha quase surtado.

Para os nadadores que inevitavelmente não compareceram, eles não queriam mais do que eles queriam. Sim, isso sôa bem óbvio, mas deixe-me explicar.

Sempre haverá uma boa parte de você que estará gritando para não fazer a coisa difícil. A parte de você que não tem absolutamente nada a ver com isso. Não aparecer nos treinos da manhã. Não fazer o algo a mais, não prestar atenção, não fazer o seu melhor possível na água.

Nesses momentos, você precisa conectar com a parte de você que quer tudo isso. E a partir do momento que essa parte é maior e sua voz é mais forte que o outro lado gritando ‘Não, fuja! Finja uma doença” Qualquer coisa menos outro tiro de 1500 pra tempo!’, aí então as coisas ficarão bem mais fáceis.

Veja como se reconectar com o seu lado que realmente quer:

Repense o seu por quê.
No início de um desses treinos brutais (que no fim das contas nunca são tão brutais assim, depois que o fazemos – como sempre), eu repensaria meus objetivos quantas vezes fossem necessárias até calar a voz do pânico na minha mente.

Nesses momentos que aparecessem esse conflito interno, eu pensaria nos meus objetivos, o que é necessário para alcança-los, e talvez o mais importante, porque é a parte mais crucial do processo, imaginar o quão incrível eu me sentiria os alcançando.

Lembre que o esforço faz parte do processo.
O caminho da pouca resistência é o caminho do conforto. É onde nós esperamos que as coisas sejam fáceis e que venham por conta própria. Onde nós dependemos da genética e do talento para chegar onde queremos.

Sucesso na piscina requer esforço, requer fracassos, requer você se sentir confortável em estar desconfortável, requer ser superior àquela voz te dizendo que a opção mais fácil é melhor pra você.

Você tem a oportunidade de fazer o que os outros não fizeram.
Mesmo nos momentos após o seu treinador falar aquela série aterrorizante, e ver todas as ausências e medo na cara dos nadadores, eu me sentia estranhamente encorajado. Porque eu sabia que exatamente aquela mesma coisa foi oferecida na piscina do meu adversário, seja onde for.

É raro que alguém consiga constantemente ir além, então abrace as oportunidades e tente isso quando elas surgirem.”

Posts relacionados

2 comentários em "How Badly Do You Want It?"

  1. Felipe Araújo disse:

    Muito bom mesmo! Parabéns pela matéria, compartilhando agora com meus colegas de equipe.

  2. João Carlos Paranhos Nogueira disse:

    Sou um paratleta de cidade sem apoio nenhum mais tenho um técnico e uma equipe que são gigantes e pensão desta forma , não tem vitórias sem grandes esforços …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »