Natação: O melhor esporte do mundo

15 de maio de 2014

Curiosidades, Editoriais41 comentários em Natação: O melhor esporte do mundo

No começo da semana, me deparei com um texto de um blogueiro australiano que apontou alguns motivos da natação ser o pior esporte do mundo. Como isso é nada mais do que a opinião dele, segue abaixo uma carta em que eu aponto a minha opinião do porquê é completamente o oposto:

“Sam,

Quando comecei a ler seu texto “Natação: o pior trabalho no mundo esportivo”, achei que  fosse algo irônico – alguma coisa falando sobre como, apesar de a natação ser um esporte tão cruel (e nós sabemos que é), ela ainda assim vale a pena.

Me enganei, parece que você realmente acredita nisso. Até entendi em partes o seu ponto: chamar atenção para os casos de ex-atletas australianos envolvidos em problemas tristíssimos de alcoolismo e depressão. É triste mesmo. Aliás, essas histórias são tristes para todo mundo envolvido com natação. É uma coisa engraçada desse esporte: talvez por não sermos mainstream, talvez pelo amor que ele desperta, talvez até por alguma coisa que está escondida no cloro, sempre que ouço uma notícia triste envolvendo um nadador, em qualquer lugar do mundo, fico triste como se fosse um amigo. A “comunidade aquática” (uma maneira meio formal de se referir a todo mundo apaixonado por esse esporte e envolvido com ele de alguma forma) é assim. Mas eu sei que para os outros pode parecer estranho.

Assim como também é estranho compreender o paradoxo da solidão na natação. Você fala sobre como nós, pobres nadadores, não podemos nem olhar a vizinhança (diferente de outros esportes individuais, como corrida), ou como não temos interação com outras pessoas (caso dos esportes coletivos). Eu te perdoo por essa falha: você nunca teve um companheiro de equipe te vendo vomitar depois de uma série de lactato ou falando “Só falta um, não desiste!” antes do 100º tiro de 100 metros. Provavelmente nunca chorou baixinho abraçado com um técnico depois de ver um semestre ir por água abaixo. Agora  me dei conta:  você também nunca viveu aquele um segundo entre bater na parede e olhar o placar e perceber que realizou seu sonho.

Essa parte de alcançar um sonho você deve achar meio piegas,  coisa de gente romântica e sonhadora que não sabe o que são as coisas sérias da vida e acredita em filme de sessão da tarde. Também não espero que entenda. Quem não faz parte acha que é forçado, mas o mais legal é isso: com a natação você aprende a sonhar naturalmente, sem nem perceber. E isso sempre vem junto com aprender que um sonho se constrói, não vem de graça (tenho a impressão que entender que o trabalho é o caminho para o sucesso deve ser algo importante na vida adulta, né?). Como você mesmo disse, o pessoal sai com o cabelo verde da piscina, treina até seis vezes por semana, é difícil. Mas a beleza está aqui, sabe? 

Não sei se você já viu, mas esse é um esporte tão bonito que quando o pessoal chega da prova, salvo em casos extremos, cumprimenta primeiro o… adversário! A relação de respeito com o cara com quem você compete eu nunca vi em nenhum outro lugar. Acho até engraçado quando leio matérias ensinando “como disputar uma posição no trabalho com seu colega de forma leal, ética e sem surtar”. Poxa, aprendi isso quando tinha  14 anos e minha melhor amiga de equipe nadava a mesma prova que eu… mas deixa pra lá. 




E fique tranquilo: dá tempo de brincar também, estudar, namorar… você comentou que a natação gera pessoas solitárias mas eu estou para ver alguém que nadou e não levou pelo menos um grande amigo pra vida. Pode perguntar por aí. Ano passado fui em um casamento onde meu antigo técnico era o padrinho do meu colega, mas talvez ele que fosse um cara extremo, afinal, quem é que vai gostar do cara que te faz sofrer tanto no treino, te dá bronca, te faz sair com dor da piscina? Isso de levar um técnico para vida toda, porque essa relação é algo que transcende qualquer coisa, deve ser um negócio de gente louca mesmo. 

Sobre sermos auto-centrados e egocêntricos, achando que nossa história individual é a única que importa, eu também vou deixar passar: acho que você nunca cantou um grito de guerra de clube, nunca torceu pro seu melhor amigo na piscina, nunca nadou um revezamento. Nunca deve ter visto também essa cena cruel e que reúne toda a beleza do mundo: arrumar a mala para ir treinar no início do semestre depois de ter dado tudo errado no anterior. Nadador é um cara persistente, teimoso (ou talvez eu esteja enganada, e nadador seja só um sociopata em potencial, como você colocou). 

Mas que bom que no fim de tudo você tem senso de humor. Achei engraçado quando escreveu que depois de nadar por toda infância criamos um cara de 20 e poucos anos com a maturidade emocional de um Teletubbie. Lembrei de quando fui fazer o vestibular para entrar na faculdade e todos meus amigos choravam ou mal conseguiam segurar o lápis, e eu respirei fundo bem tranquila, afinal já tinha passado por umas dezenas de balizamentos em toda vida – essa parte de  “balizamento”aqui fica pra você digitar no google e descobrir o que é 😉

Sam, você não entendeu nada, mas eu te perdôo – quem sabe na próxima vida você entenda, se tiver a sorte de alguém te colocar para fazer o melhor esporte do mundo. 

PS: Anexei algumas fotos para ilustrar.”

Captura de Tela 2014-05-14 às 14.17.40

Foto: Liliane Yoshino/Imprensa FAP

kirsty

darabritta

Captura de Tela 2014-05-14 às 14.18.01

Foto: Liliane Yoshino/Imprensa FAP

 

Captura de Tela 2014-05-14 às 16.27.34

 

Captura de Tela 2014-05-14 às 16.36.47

Foto: Liliane Yoshino/Imprensa FAP

 

20121022-img_1847

 

Captura de Tela 2014-05-14 às 16.46.08

Captura de Tela 2014-05-14 às 16.35.20

Foto: Liliane Yoshino/Imprensa FAP

Captura de Tela 2014-05-14 às 16.54.30

Foto: Liliane Yoshino/Imprensa FAP

Captura de Tela 2014-05-14 às 16.41.34

Captura de Tela 2014-05-14 às 14.25.25

Foto: Liliane Yoshino/Imprensa FAP

higl

Captura de Tela 2014-05-14 às 16.54.03

Foto: Liliane Yoshino/Imprensa FAP

71

Captura de Tela 2014-05-14 às 16.25.39

Posts relacionados

41 comentários em "Natação: O melhor esporte do mundo"

  1. Fátima disse:

    Simplismente emocionante!!!!! Parabéns belíssimo texto.

  2. Glauce Magalhães disse:

    Acredito que todos os nadadores se identificaram com este texto. Você conseguiu colocar em palavras o que está no nosso peito todos os dias. Também tenho amigos de natação desde a infância e após 30 anos temos o mesmo carinho. Os companheiros de equipe de hoje são as melhores pessoas do mundo, pra mim. Mas não é uma competição… Obrigada!!! Senti-me homenageada.

  3. Edgard Picoli disse:

    Depois de ler o texto e respirar fundo, acredito que é desnecessário dizer que este relato apresenta mais que palavras, traz recordações, experiências e algo que é próprio de quem se dedicou às piscinas. Eu não li o texto original, mas acrescentaria ao segundo como me recordo nas equipes (turmas) de natação, algo semelhante a uma família dentro e fora das raias. Fazemos alguns de nossos melhores amigos nesta convivência, sentimos orgulho, satisfação e alegria uns pelos outros como se fossemos irmãos. Além de tudo mais o que foi escrito no segundo texto, vale lembrar que é uma opinião também, mas mesmo com os treinos de madrugada, caibras, dor, …. valeu e ainda vale a pena!

  4. Rogério CACO Guimarães disse:

    Querida Bia.
    Seus textos são sempre fantásticos, não só pelo fato de você ser competente, mas principalmente por escrevê-los com o coração!!
    Seus textos sempre me causam as mesmas reações; risos, saudades e lágrimas, tudo de uma vez só!!
    Ao sr. Sam em outros tempos, eu mandaria um VTF ou VTNC, mas hoje estou mais tranquilo, e penso que ele deva ser extremamente infeliz…e a vida pode nos proporcionar incontáveis bons momentos!!
    Um grande beijo!!
    CACO.

    • Beatriz Nantes disse:

      Caco,
      Muito do que eu aprendi e vivi na natação foi graças a você, o técnico da minha vida, essa relação “que transcende qualquer coisa”.
      Obrigada por tudo!

      • Roberto Vasques disse:

        Bom dia Beatriz,
        Assisti uma palestra sua no Internacional e gostaria de uma opinião sua sobre a natação nestes últimos anos pelo que ocorreu nas Olimpíadas do Rio ( na minha modesta opinião foi um fracasso total).
        Assisti os treinos dá Itália e na minha experiência de 3 anos acompanhando meu filho que treina todos os dias exceto domingo que os treinadores estão precisando de reciclar, evoluir como pessoa e como técnico.
        Será que não está na hora de aprenderem com quem tem ótimos resultados a entender o que estão fazendo, como estão treinando para poder evoluir a natação no País.
        Nós aprendemos sempre algo com alguém e a vida toda temos que evoluir.
        Vejo a postura de alguns técnicos como soberba e por isso alguns atletas desistem e ficam com uma visão destorcida do que a natação proporciona para a formação de caráter, responsabilidade, superação, trabalhar em equipe, respeitar a todos, enfim ….Como você enxerga essa opinião.
        Não é crítica nem defeito e sim evolução.

  5. Iara Coutinho disse:

    Amei… nossa tantas lembranças. tantos risos, tantos amigos, dentro e fora da equipe.. gente que competia comigo e que guardo no coração com o carinho de um irmão ou alguém proximo da familia… :) obrigada

  6. Renata disse:

    Me emocionei com o texto e me senti orgulhosa, como mãe, de fazer parte desta família que é a natação.
    Ter muitas “filhas” para apoiar, torcer, chorar, vibrar, aconselhar, viver. Tudo isso é um privilégio.
    Me orgulho dessa vida.

  7. Caio Hoffmann disse:

    Ótimo texto. Me fez recordar muito que vivi nos anos de piscina.

  8. Sonia Salan disse:

    Meus filhos uma menina e um menino, hoje ela com 30 anos e ele com 34 tem ate hoje seus melhores amigos sao os que conheceram na equipe de natacao de nossa cidade. Sempre os acompanhei nas competicoes e nos treinos, que as vezes comecavam pela manhazinha antes da escola e voltavam ao clube a tarde para treinar novamente
    Foi um epoca muito boa. Hoje eles sao engenheiros , e eu comecei a nadar mais ou menos aos 50 anos, tenho hoje 67 e quando posso tento nadar pelo menos 3 vezes por semana.

  9. Jaqueline Sanches disse:

    Você me inspira!

  10. Sandra Serrachioli disse:

    Maravilhoso……você disse tudo…….Natação é pra VIDA…..

  11. Fabio Kiyoshi Onodera disse:

    Gostei! No fundo, no fundo, adorei as palavras desse ser vivo Sam. Porque se não fosse suas palavras escrotas, não teria o prazer de ler essas suas frases agora. Não lembraria de relembrar os melhores anos da minha vida!
    Bia, nem sei quem é Sam, tudo que sei, é que, se ele acha isso da natação, ele nunca conseguiu ser feliz o resto da vida em alguns minutos nadando o mais rápido que puder!

    E ele nunca vai saber o gostinho de ser melhor que voce mesmo por um milésimo de segundo!!!!!
    Ah, enfim, ele nunca vai dar valor ao tempo!

  12. Alexandra disse:

    Independente da foto que colocou do meu pequeno Kainan C. de Jesus, muito obrigada, muito bem colocadas as suas palavras, e melhor ainda , muito bem vividas. Este tal de Sam, coitado deve ter tido alguma desilusão muito grande, a natação é somente pros fortes e determinados!

  13. Alison disse:

    Como e bom viver e poder ver tantas adversidades até mesmo quando se tratando de opiniões sou pai de atleta e também brinco de competir rs mas serve sei como è esta atraz de um bloco, vejo idéias diferentes mas ambos estão vendo cada lado da natação acho que o correto era pegar o texto do australiano e o seu e fazer uma junção aí caracterizaria a realidade não só da natação mas de todo esporte e profissão, belo texto e realidades e o que fica e aprendizado e felicidade só que temos que ver que nem todo atleta encara da mesma forma derrotas, vitórias, treinos duros, cansaço, e as vezes distancia da família tudo isso teria que ser avaliado independentemente para dar um parecer real….

  14. Leonardo de Souza Mattos Alves disse:

    Obrigado Beatriz, por traduzir nesse belíssimo texto toda a beleza deste esporte que escolhemos para nós. Tenho 46 anos, voltei a nadar aos 33 e graças à natação pude fazer grandes e duradouras amizades. Hoje este esporte “solitário” faz parte da minha vida e não sei o que seria de mim sem ele.

  15. tatiane andrade setin sartori disse:

    Belíssimo texto, emocionante!!!!!

  16. Luara Lobo disse:

    Boa noite Beatriz !!!

    Quero primeiro parabeniza-la pelas belas palavras que emocionaram nao apenas todos que ja tiveram essas experiencias unicas com esse esporte, mas tambem aqueles que apreciam a natacao e todos os aprendizados que ele nos tras !!!
    Sou psicologa do esporte e trabalho com atletas de categoria de base de natacao, achei muito legal tudo o que voce escreveu e quero usa-lo para fazer um trabalho com eles, sera que voce poderia me mandar o link do artigo do Sam, por favor?

    Grata atencao desde ja,

    Luara Lobo

  17. Mari sandra disse:

    Querida Bia : como mãe de um nadador compartilho de tudo o q disseste . A disciplina, a persistência , a dedicação , a confiança , a certeza de que o esforço sempre é recompensado , que a importância de superar limites , alguns milésimos de segundos serem tão importantes , a vivência de uma grande família aquática e a de que amigos verdadeiros se formam para toda a vida é o que vejo há 12 anos .

  18. Vanderum disse:

    Simplesmente emocinante

  19. Marcia Leal disse:

    Morando em Santos, quando meus filhos nasceram, eu não tinha nenhuma noção do que era “Comunidade Aquática”, nem sabia que a cidade tinha uma tradição nesse esporte, formando atletas e campeões como Renata Agondi. Cheguei na cidade com 27 anos. Coloquei os dois na natação para que não se afogassem na praia ou na casa de algum colega que tivesse uma piscina. Era apenas para segurança.
    O resultado de tudo isso é este belo texto que fala por si só.
    Uma atitude que gerou a formação do caráter, da integridade, da generosidade dos dois e da formação acadêmica do meu filho Caio, que hoje é técnico de natação e da Bia que escreve textos lindos como este.

  20. Alberto Caneda Nantes disse:

    Fiquei muito emocionado e feliz ao ver como a Bia defendeu sua paixão.

  21. Lourival Edwin Juenge disse:

    Alcançar o topo em qualquer atividade é dureza e para poucos, sempre incentivamos a natação e temos algumas medalhas e trofeus devido ao esforço individual dos filhos, hoje minha filha é professora de natação e sou seu aluno, mas o melhor disso é a galera toda, existe um convívio muito gostoso. As vezes alguém da um tempo e depois retorna, a maioria começa lá na infância e nem todos continuam, mesmo assim os laços de amizade ficam.

  22. Aila Maiara disse:

    So quem ja viveu / vive este esporte sabe o que é o melhor esporte do mundo.
    Parabens pelo texto, me fez lembrar e otimos momentos de alegria na nataçao.

  23. José Albuquerque Pinto Neto disse:

    Concordo com todos os seus comentários! Gostaria de incluir mais alguns benefícios que a natação me deu! Nadei dos 10 aos 20 anos, retornei aos 30, e pretendo continuar competindo no master até onde Deus me permitir. Hoje, aos 47 anos, consigo enxergar que a forma como encaro a vida, deve-se em grande parte ao que a natação me ensinou. A perseverança, a disciplina, o respeito ao concorrente, a percepção que resultado só aparece com muito trabalho, a competitividade, o trabalho em equipe, tudo isso me foi ensinado durante os milhares de quilômetros de azulejos contados ao longo de todos esses anos. Meus melhores amigos, até hoje, são meus colegas da natação, reunidos novamente na categoria master. Todos esses ensinamentos influenciaram positivamente na minha vida profissional de executivo e professor universitário,, e na educação que dou aos meus 3 filhos. Definitivamente, a natação que esse australiano conhece, não é a mesma que eu pratiquei, pratico e praticarei até o final da minha vida! E VIVA A NATAÇÃO!!!

  24. Marina disse:

    E esse é o melhor texto sobre o melhor esporte do mundo!!! Parabéns!!!

  25. […] fim, a emocionante resposta de Beatriz Nantes a um crítico australiano. Vale a leitura do melhor esporte do […]

  26. Querida Bia,

    Como jornalista, nadadora e (a mais dificil tarefa de todas!) mae de nadador, gostaria de t parabenizar pelo texto e pela resposta ao Sam.
    Vc transmitiu (nao é pra qquer um) com palavras a emoçao sem igual q sentimos na maioria das vezes por meio de imagens ou in loco, nos treinos ou nas provas.
    Obrigada por mostrar q vale a pena!

  27. Luiza disse:

    Belo texto! Não acho que seaplica só aos atletas de natação, sou judoca e sinto exatamente o mesmo, me identifiquem muito com o texto. O esporte mesmo com tudo que se passa nele e maravilhoso, e só quem é atleta ou foi atleta sabe o que é viver isso. Parabéns!

  28. Fernanda disse:

    Só quem nadou a vida inteira e tem a certeza de que nadará por toda a vida (com dor no ombro, ou sem dor, do jeito que for) entende o que você está falando.
    Natação é o (meu) segredo da felicidade. Me emociono sempre que tento contar pra alguém minha relação com esse esporte – de natureza mística!

  29. Fernando Cunha Magalhães disse:

    Eu entendo a depressão de grandes expoentes, que alcançaram a glória mundial na natação e não chegam nem perto disso na sequência de suas vidas, que aliás, é a maior parte da vida.
    Mas não entendo como o tal Sam, pode equivocar-se tanto em achar que isso é culpa da natação.
    A natação projetou esses caras e os proporcionou uma vantagem para a sequencia da vida que não souberam aproveitar.
    E isso é realmente uma pena.
    Mesmo assim, respeito o tal Sam, que ao expressar suas opiniões, das quais também discordo, motivou-a a escrever tão belas verdades sobre nosso esporte amado.
    Esse ano faz 20 anos que nadei meu último Troféu Brasil – ainda tenho reconhecimento pelo que fiz, ainda tenho imenso prazer em lembrar das histórias e contá-las no Epichurus, ainda lembro os gritos de guerra do Curitibano e do Pinheiros, e ainda tenho o grande prazer de ter não só um, mas vários amigos das piscinas espalhados por esse Brasil e pelo mundo.
    Parabéns pelo texto, Beatriz.

  30. Marco Sanfelice disse:

    Parabéns pelo texto, é tudo isto aí mesmo!!! Lembre-se que Brasil e Austrália são TOTALMENTE diferentes culturalmente. Acredito sim que a frieza dos países de fala inglesa (exceção de Jamaica e cia) criam estes monstros egocentricos. No Brasil se faz amizade em um ponto de ônibus, somos solidários e amigos viram família com uma facilidade espantosa aos gringos. Parabéns. Escreve muito bem! Pena que o gringo não vai entender nada… ele não é brasileiro. Obs.: tudo que disse do Brasil também se aplica a países mediterrâneos e America latina.

  31. Marcio Junqueira disse:

    Boa tarde!!!
    Concordo plenamente com o que foi exposto. Eu diferentemente de muitos colegas comecei a nadar depois de adulto com o objetivo de recuperar-me de uma cirurgia de hérnia de disco. É muito gratificante dizer que fui muito bem sucedido, que virei atleta de maratonas aquáticas, e hoje minha vida mudou completamente para melhor. Hoje com 42 anos, Tenho mais saude de quando tinha 20 anos. A natação passou a ser prioridade na minha vida e quero sempre continue a me motivar em todos os sentidos.
    Feliz dia da natação a todos os nadadores.

  32. julius disse:

    Genial e emocionante! 😉

  33. Renato Golanda disse:

    Texto mais lindo que já li, palavras verdadeiras e vindas do coração!! Parabéns, nadadora, guerreira, vitoriosa!

  34. Isadora Ferreira disse:

    A coisa mais bonita eu eu li em muito tempo!!

  35. Gi disse:

    Como mãe de duas atletas nadadoras reverencio cada palavra sua. Vc está de parabéns

  36. Daniel disse:

    Retratou perfeitamente

  37. Geovana Sant'Anna disse:

    Muito obrigada por representar todos os nadadores neste texto!!! Nadei mais de 1/2 da minha vida e sou eternamente grata por esse esporte que me ajudou na vida adulta ter maturidade e seriedade com todas as coisas!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »