screen-shot-2017-01-05-at-10-05-50-pm

Despedidas: Renan Henrique

5 de janeiro de 2017

Blog1 comentário em Despedidas: Renan Henrique

Semestre a semestre, o início de temporada marca a chance de recomeçar, mudar ou continuar no mesmo clube, repensar o que deu certo, corrigir o que deu errado.

Ou não. Para muitos, o início da temporada marca também a primeira temporada longe das piscinas, a primeira temporada como uma pessoa normal, com emprego, faculdade, ou com tempo de estudar depois do colégio.

A natação é feita de todo mundo que continua, e de todo mundo que para de nadar também.

Lembro de ler uma matéria sobre o Gustavo Borges no dia de sua última prova, em Atenas-2004, com o título “Borges lembra de Barcelona, do calor seco e de como é difícil parar de nadar”. Ler aquilo me deu um pouco de alívio. Se era difícil pra ele, que tinha conquistado tudo, devia ser difícil para todo mundo mesmo.

A partir de hoje, vou escrever sobre 4 aposentadorias que me marcaram no final do ano passado. E para começar, uma especial: do Renan Henrique, do Corinthians.

Foto: Bella Tirulli

Foto: Bella Tirulli

Renan entrou em uma academia em 2001, mas não conseguiu aprender a nadar direito. Isso foi acontecer em 2003, quando mudou para o Corinthians, por causa de uma bronquite. Ele nunca mais saiu de lá. Corinthiano roxo, Renan teve a “sorte” de ter o dia a dia repleto de suas grandes paixões: os dias no clube, treinando natação, e as idas ao estádio para acompanhar o time (quando eu digo corintiano roxo, é de verdade mesmo: a sigla SCCP completa seu nome no perfil do facebook).

Nascido em 1997, Renan é da mesma geração de Brandonn Pierry, com quem nadou por muitos anos. Treinou com Elis e Bira no mirim, e depois ficou quatro anos com Danilo Lima, dois no petiz e dois no infantil. Foi nessa época que ouvi sobre ele e sua vontade insana nos treinos pela primeira vez, quando meu irmão Caio tinha acabado de entrar no clube como estagiário e me contava sobre os atletas.

14656241_1217533764986925_371159705772923308_n

Depois do Danilo, veio o PA (Paulo Augusto, do juvenil), e depois mais três anos com o Danilo no Júnior. Foi nesse período que viveu um dos momentos mais marcantes na natação, entrando na final B do Finkel, realizando o sonho de nadar um campeonato absoluto.

Os pais sempre apoiaram a natação do seu filho e sempre tentaram acompanhar todas as competições, o que começou lá atrás e continuou até o júnior. Agora, a família segue torcendo para a irmã, Raiane, que também nada no Corinthians.

14681696_1229199510487017_8035455803778072058_n

Outro momento que vai ficar guardado para sempre foi seu primeiro título de campeão paulista, em 2008. A competição foi realizada no Corinthians e Renan venceu o 100 borboleta petiz 1 com 1’15”24, em prova com 22 nadadores nadada em piscina longa.

screen-shot-2017-01-05-at-9-36-47-pm

A ideia de parar nadar começou há um tempo. Renan ensaiou parar quando começou a faculdade de educação física, mas continuou. Ano passado, decidiu que era a hora, mesmo sabendo que ia ser complicado – e está sendo. Essa semana, não está fácil ver os colegas voltando aos treinos e ficar em casa sem treinar.

A última competição não podia ter sido mais poética: no Corinthians, com os amigos e família na arquibancada, nadando justamente o 200 borboleta, sua prova preferida. Foi no Campeonato Paulista de 2016, realizado em novembro. Entre medo de travar, se sentir feliz por estar em casa e vontade de aproveitar tudo pela última vez, Renan ficou próximo de seu melhor tempo, terminou em segundo lugar e subiu ao pódio pela última vez.

Ele nadou a prova com a mesma touca usada naquele Paulista do ouro, 8 anos antes.

15078708_1776563545937898_397266734228060374_n

Um domingo que nunca mais será esquecido, nas palavras dele – assim como Gustavo Borges nunca vai esquecer aquele revezamento 4×100 livre em Atenas, como ele disse na matéria há 13 anos.

Há coisas que diferenciam os grandes campeões da história, mas há muito mais coisas que nos unem.

Parar de nadar nunca vai ser fácil para ninguém.

screen-shot-2016-12-06-at-1-18-58-pm

bira

12814568_974286362646914_5062174663650347628_n 10308153_940075642734653_7715111774171294923_n 14650241_1140618932680322_763372455000488441_n

Posts relacionados

Um comentário em "Despedidas: Renan Henrique"

  1. Eva Santos disse:

    Renan é e sempre será o nosso campeão. Desde que nasceu, ocupa o lugar mais alto no pódio de nossas vidas. As vezes presentes , as vezes distantes , acompanhamos a sua trajetória, torcemos , vibramos e nos orgulhamos muito de suas conquistas em todos os sentidos . De menino moleque a um homem lindo , responsável, amável, amigo e companheiro, que deu o melhir de si e que com competencia e sabedoria soube a hora de parar.
    Parabéns Campeão… , estaremos sempre do seu lado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »