Diário de Altitude – parte 2, por Joanna Maranhão

1 de fevereiro de 2015

Diário de Altitude1 comentário em Diário de Altitude – parte 2, por Joanna Maranhão

“Olá, olha eu aqui novamente ainda “inteira” dos treinos na montanha!

Resolvi escrever um pouquinho sobre a rotina fora da rotina. Basicamente sobre o que fazer para suportar as 3 semanas . Como eu disse no post anterior, com o passar dos dias, o acumulo do cansaço, a rotina vai ficando mais difícil, os dias demoram a passar e a motivação pode “despencar”.

10965370_10106377885029091_1984015686_nMe lembro bem quando fiz minha primeira altitude, eu era juvenil 1, nem sei quantos anos eu tinha e fomos pra Cidade do México, o Brasil nunca havia feito esse tipo de treinamento e era tudo muito novo. Ficamos em um centro que não tinha televisão e na época (2002) ninguém usava internet, ou seja o tédio tomava conta. Pra mim particularmente foi ainda mais difícil, conviver com pessoas mais velhas do que eu, passar 3 semanas longe de casa, eu liguei várias vezes pra minha mãe pedindo pra voltar. Eu nem musculação fazia, então lembro de ficar sozinha no centro enquanto a seleção fazia parte física, não foi uma experiência gratificante.  Já no outro ano em 2003, eu me precavi, levei música pra escutar (era discman mesmo, talvez os mais novos nem saibam o que é, rs), e alguns livros. A seleção ficou hospedada em um hotel em Puebla o que já melhorou porque tínhamos TV e uma estrutura mais bacana. E assim eu fui percebendo que pra me manter motivada e focada nos treinos eu precisava de uma rotina fora da piscina que me relaxasse e me trouxesse o mais próximo da minha realidade de Recife.

O que funciona pra mim talvez não funcione pra outros atletas, isso é bastante pessoal.

10009566_10106377884964221_1545689428_nHoje tenho 27 anos, gosto muito de ler, desde best seller água com açúcar a livros de filosofia. Também curto muito filmes, de todos os gêneros, menos terror! Só pra vocês terem uma idéia, nessa altitude eu trouxe 2 livros e meio (meio porque um eu já estava lendo em São Paulo) e 11 filmes!Isso mesmo! Dos livros eu já terminei 2 e estou no terceiro, dos filmes eu ainda vou começar a ver. Fora a isso eu tenho sempre meu mp3 (evolui do discman, olha só!), converso com minha família sempre que posso, meu namorado (que saudade!!!)

Enfim,  além de tudo isso também acho importante que as folgas (ainda que poucas) sejam “curtidas”; passeio pela cidade, compras (eu 10961693_10106377884829491_2146715167_nsempre quero ter mais dinheiro e espaço na mala mas enfim…), restaurante bacana são atividades que descansam o corpo, a mente e te renovam para as outras sessões de treino. Natação já é um esporte demasiadamente monótono algumas vezes e ficar o tempo inteiro focado na rotina sem uma “válvula de escape” pode acabar aumentando a pressão natural que o alto rendimento envolve.

Acho que é isso, o importante é se descobrir, perceber o que te faz bem (e o que não faz também pra evitar), procurar se cercar de atividades e pessoas que te acrescentem, e claro, trabalhar MUITO quando estiver na piscina.

Espero que tenham curtido.

Até o próximo post!

Joanna M.”

Posts relacionados

Um comentário em "Diário de Altitude – parte 2, por Joanna Maranhão"

  1. Aquaman disse:

    Como que podem achar natação “demasiadamente monótono”?
    Tem coisa melhor que ficar dentro d’água contando azulejo ou braçadas?
    Bons treinos para o pessoal ai nessa tal de Sierra Nevada… tem que treinar muito, a Dama de Ferro tá ganhando até nos 200m Peito!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »