Efimova é suspensa por 16 meses

13 de maio de 2014

DopingNenhum comentário em Efimova é suspensa por 16 meses

Saiu ontem a decisão do Painel da FINA para o caso de doping de Yuliya Efimova. A nadadora russa foi suspensa por 16 meses, a partir de 31 de outubro de 2013, por ter testado positivo para a substância 7-keto-DHEA em um exame surpresa. Com a decisão, Efimova fica suspensa até 28 de fevereiro de 2015, e perde os resultados obtidos no período, como os recordes mundiais de 50 e 200 peito em piscina curta.

A nadadora russa, campeã mundial do 50 peito em Barcelona e bronze nas Olimpíadas de Londres, já estava suspensa de forma temporária em janeiro, quando saiu o resultado do teste. Efimova abriu mão de pedir a amostra B e seu advogado, Howard Jacobs, indicou que a substância foi encontrada em função do suplemento Cellucor CLK, que teria sido utilizado apenas por uma semana.

De acordo com o documento da FINA, o advogado da nadadora deu uma série de argumentos pelos quais Efimova não teria sido negligente, como o fato de ter sido testada 13 vezes em 2013, inclusive dias antes ou depois. Sobre o produto comprado, ele explicou que Efimova estava em busca de L-carnitina, substância que usa há anos, e que conseguia antes com seu pai, na Rússia. Com a mudança dele para Los Angeles, ela não teria como obter a substância, de modo que entrou em uma loja nos EUA e pediu a substância, sendo orientada pelo vendedor a adquirir o Cellucor CLK. Ela teria ainda perguntando se o produto era livre de doping ao vendedor. O advogado pediu inclusive que o fato dela não falar inglês como língua nativa fosse considerado pelo painel.

Embora tenha reconhecido  que Efimova não tenha tido intenção de melhorar sua performance, o Painel considerou que Efimova foi “negligente e insuficientemente cuidadosa de confiar sua nutrição em um vendedor de loja”. Embora afirme que isso possa ser atenuado pela questão da língua e de nunca ter tido educação sobre doping na Rússia, o Painel considerou que deixar de ler os ingredientes do suplemento ficou  “consideravalmente abaixo do nível considerado esperado por uma nadador de elite internacional e recordista mundial”.

O Painel reconheceu a “não intenção” de Efimova, e mesmo sendo a sua primeira ofensa de doping, considerou uma falta de cuidado o fato de utilizar um suplemento contendo substância proibida pela lista da WADA.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »