natação

Nadar é lindo

25 de janeiro de 2017

Editoriais1 comentário em Nadar é lindo

Irônico perceber isso só depois de mais de 20 anos submersa nesse mundo. O fato é que temos consciência da beleza desse esporte, ou no mínimo uma noção inconsciente. Mas sentir, sentir é algo muito diferente. Sentir mexe com os brios. Sentir inspira e te faz refletir. E hoje eu – finalmente – senti.

O fato é que tive que ficar meses sem nadar, para conseguir ter essa percepção. Quando estamos no modo automático, fazendo a mesma coisa por um longo período, deixamos de sentir, nossa percepção desaguça. E fico pensando nos milhões de metros que nadei minha vida inteira e desperdicei essa sensação – ok, difícil pensar na beleza de nadar, durante uma série de tolerância, mas nem naquela soltura de fim de treino pude me proporcionar tal prazer. Sempre amei nadar, mas acho que nunca me permiti experenciar isso por completo.

Ouvi uma vez alguém falando: “Gratidão é se desacostumar das coisas”. De fato. Somos genuinamente gratos por algo, quando estamos de corpo, alma e mente envolvidos. A rotina nos faz estar apenas “de corpo”, no máximo “corpo e mente”. É importante nos policiarmos para que a percepção de nossas atividades, seja lá qual for, sempre esteja aflorada.

natacaoPois bem… nadar. Já parou para pensar o quão incrível é se locomover na água? Deixemos o esporte um pouco de lado. Pense simplesmente na ação dos movimentos. Na braçada, na pernada, na rotação do tronco. Uma dança que propicia o corpo a manter-se na superfície.

E olha que eu amo todos os esportes. Amo correr, amo pedalar, amo a sensação de bater uma raquete na bolinha e ela ir na direção que eu havia proposto – algo não tão frequente.

Mas nadar é algo tão diferente de tudo. É outro meio. Acho que por isso que a paixão pela natação é tão intensa. Por isso que um nadador se mostra muito mais apaixonado pelo que faz do que um corredor, por exemplo. Porque além de todos os benefícios ao corpo que a natação proporciona, tem-se a sorte de possuir um momento a sós consigo mesmo e o prazer de ouvir a calma do ambiente submerso, muitas vezes inspirador. Quantos posts da Yes Swim foram criados durante uma série de A1, né Bia?

Então, usando da minha experiência, sugiro que na próxima vez que caírem na água, reservem algum momento para senti-la. Para sentir-se. Permitam-se analisar cada movimento, cada centímetro que se locomovem. Deixem-se envolver por essa dança aquática que algum dia deram o nome de natação. E sabemos bem: o melhor esporte do mundo.

Posts relacionados

Um comentário em "Nadar é lindo"

  1. Marina disse:

    Nossa, que texto lindo!!! Para me desacostumar, eu tenho o hábito de fazer tatuagens, uma ou duas vezes por ano, o que me obriga a ficar uns 20 dias, pelo menos, longe da natação. Apenas o período de cicatrização de uma tatuagem e chuva com raios me tiram da água… haha! E, toda vez que eu volto, é exatamente isso que sinto, a beleza da natação, fora do modo automático, sensação ímpar que você descreveu da maneira mais maravilhosa possível! Parabéns! <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »