IMG_7673

Assista às coletivas de imprensa do dia 7 do Mundial

29 de julho de 2017

Mundial Budapeste 2017Nenhum comentário em Assista às coletivas de imprensa do dia 7 do Mundial

CAELEB DRESSEL – Campeão do 50 livre, 100 borboleta e 4×100 livre misto hoje, além dos ouros já conquistados no 4×100 livre masculino, 100 livre e 4×100 medley misto.

Perguntado sobre poder se tornar o primeiro homem após Michael Phelps a ganhar 7 ouros em um Mundial
“Sei que as comparações são inevitáveis, não sei se gosto delas, mas sei que elas virão. Eu sou uma pessoa, ele é outra. E ainda preciso nadar o revezamento 4×100 medley. As pessoas gostam de comparar umas pessoas com outras. Não acho que coloca mais pressão em mim.”

Perguntado sobre como equilibra a vida acadêmica e a natação
“Tenho uma prova de álgebra daqui a 2 dias. Foi a mesma coisa durante a seletiva americana. Não sou muito bom de matemática…”

Perguntado sobre sua saída
“Faço levantamento olímpico e treino de força, mas nada de específico, não treino isso todos os dias. A saída é só uma parte da prova”

Perguntado sobre Tóquio
“Ainda nem acabou meu Mundial, não consigo já estar pensando no que vai acontecer daqui a três anos”.

“Não me vejo como um nadador de borboleta. Mas acho que a partir de agora vou começar a trabalhar mais nisso”.

EMILY SEEBOHM – Campeão do 200 costas hoje, primeiro ouro da Austrália na competição

“O Mitch [Larkin] foi muito importante depois do Rio, meus pais, os pais dele também. Todos falavam que eu tinha que fazer o que me deixava feliz. As Olimpíadas não me fizeram feliz, mas nadar me faz”.

“Quando descobri que tinha endometriose, foi como ter um motivo para ter nadado mal no Rio. Operei e em janeiro tive que correr atrás do tempo perdido. Acho que não vou dormir essa noite”.

KATIE LEDECKY – Campeã do 800 livre hoje, além dos ouros conquistados no 400, 4×200, 4×100 e 1500 livre, e a prata no 200 livre

“É importante conquistar o ouro para os Estados Unidos, se ela tivesse chegado mais perto eu provavelmente teria lutado para manter minha posição”

“Minha motivação vem das pessoas com quem eu treino, não penso no número de medalhas que vou ganhar em uma mesma edição”.

“Eu aprendi muito nessa uma semana, meu treinador também. Não vim com expectativa de tempo”.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »