katinka hosszu 200 medley budapeste 2017

BUDAPESTE 2017 – TEMPO REAL Finais Dia 1

23 de julho de 2017

Mundial Budapeste 2017Nenhum comentário em BUDAPESTE 2017 – TEMPO REAL Finais Dia 1

400 livre masculino

Menos de 1 segundo separam o primeiro lugar Tae Hwan Park dos demais, nos primeiros 100 metros. Mas Sun Yang assumiu a posição nos primeiros 200 metros, com 1’50”8.

Após isso, Sun Yang só distanciou-se dos demais e venceu com o melhor tempo do ano 3’41”38, melhor que o tempo que Mack Horton fez pra vencer os Jogos Olímpicos. O australiano terminou com a prata com 3’43”85, seguido do italiano Gabrielle Detti com 3’43”93.

400 livre masculino final Sun Yang

100 borbo feminino

Semifinal 1

Kelsi Worrell, com uma ondulação espetacular, destacou-se e venceu a primeira semifinal com 56”74. A jovem japonesa Rikako Ikee também nadou abaixo dos 57 segundos, com um nado mais forte que o da americana, com 56”89. Yufei Zhang foi a terceira colocada da série com 57”29.

Semifinal 2

A superioridade de Sarah Sjostrom começa já na saída e ondulação. Não há nenhum instante da prova que a sueca não esteja na frente. Com parcial de incríveis 25”77, Sarah venceu a semi com 55”77, nadando pela segunda vez no dia abaixo de 56 segundos (lembrando, que só ela e Dana Vollmer já quebraram a barreira). Emma McKeon, também muito bem, terminou em segundo com 56”23 (será que ela ameaça a sueca?)

Para classificar-se para a final: 57”64.

100 borboleta feminino semifinal budapeste 2017

50 borbo masculino

Semifinal 1

Excelente saída do americano Caeleb Dressel, que fez sua melhor marca pessoal com 22”76. Henrique Martins terminou em terceiro na série com 23”13. Ainda tivemos mais um nadador abaixo dos 23 segundos, Benjamin Proud com 22”92. E o ucraniano Andrii Khloptsov, na raia 1, bateu o recorde mundial junior com 23”31.

Semifinal 2

Mais três nadadores abaixo dos 23 segundos: Andrii Govorov com 22”77, Nicholas Santos com 22”84 e o campeão olímpico dos 100 metros Joseph Schooling com 22”94.

Os dois brasileiros passaram para a final e amanhã quem acertar mais a prova, sobe no pódio. E se Nicholas fizer a prova perfeita, temos chance de recorde mundial.

Para pegar final: 23”31.

50 borboleta masculino semifinal budapeste 2017

400 livre feminino

Katie Ledecky começou os primeiros 100 metros com um nado diferente do que estamos acostumados, um pouco mais picado que o usual, mas ainda sim pegando muita água. Passou a metade da prova com 1’57”74, quase dois segundos a frente de sua compatriota Leah Smith, que passou em segundo.

Nos 300 metros, a torcida entrou a loucura, para incentivar as húngaras, que estavam disputando medalha. Enquanto isso, Katie Ledecky a quase dois corpos na frente e Leah Smith, já garantiam sua medalha.

Ledecky venceu com 3’58”34, para bater novamente o recorde de campeonato e permanece invicta em Campeonatos Mundiais e Olimpíadas. Leah deu a dobradinha para os EUA com 4’01”54. O bronze ficou com a chinesa Li Bingjie para 4’03”25.

400 livre feminino final Katie Ledecky Budapeste 2017

100 peito masculino

Semifinal 1

Os dois brasileiros nadaram na primeira semi, com Cody Miller encabeçando a série na raia 4. O russo Kirill Prigoda teve a melhor filipina e saiu os primeiros 15 metros na frente. Mas Felipe Lima logo assumiu a liderança com 27”52 nos primeiros 50 metros.

O melhor final de prova foi do americano Cody Miller, que liderou a primeira semifinal terminando com 59”08. Felipe Lima terminou em terceiro na série com 59”48 e João Luiz Gomes Jr piorou um pouco do tempo da manhã, terminando em quarto com 59”56.

Semifinal 2

O nado de Adam Peaty é impressionantemente superior aos demais. A partir do momento que dá a primeira braçada, já começa a se distanciar do resto da série. Passou na frente simplesmente com 26”60 e perdeu um pouco ritmo nos segundos 50 metros, terminando com 57”75, suficiente para o recorde de campeonato. Para se ter uma ideia, o britânico está quase 1 segundo na frente d o segundo colocado Kevin Cordes com 58”64, único abaixo dos 59 segundos, além do recordista mundial. É muita superioridade.

Infelizmente, com isso, os brasileiros não passaram para a final, terminando em 10º e 11º.

100 peito masculino semifninal budapeste 2017

200 medley feminino

Semifinal 1

Em uma boa disputa entre a canadense Sydney Pickrem e a britânica Siobhan O’Connor, a canadense levou a melhor na primeira semifinal, vencendo por pouco com 2’09”17. Siobhan que começou na frente, terminou em segundo também abaixo dos 2’10” com 2’09”72.

Semifinal 2

Katinka Hosszu assumiu a liderança desde o início da prova, passando os primeiros 100 metros simplesmente abaixo do minuto. Joanna Maranhão virou os 100 em quarto, muito bem. A parcial de peito da brasileira não foi tão forte, se comparado às demais nadadoras, mas teve um forte final de prova pra bater RECORDE SULAMERICANO com 2’11”24

Katinka Hosszu voou para 2’07”14 e está com mais de 2 segundos de vantagem sobre a segunda classificada. Difícil tirar o ouro da húngara, ainda mais com esse apoio da torcida.

Para pegar final: 2’10”45.

4×100 livre masculino

QUE REVEZAMENTO!!!!!

Não sei por onde começar:

47”26 de Caeleb Dressel

Medalha de prata pro Brasil

Ou a Torcida Húngara comemorando a primeira medalha do país (e completa zebra).

Vamos lá, em ordem. Caeleb Dressel é o homem a ser batido dos 100 livre, com esse tempo absurdo. Por mais que Cameron McEvoy tenha nadado ano passado para 47”04, o australiano há um tempo não chega perto desse tempo. Inclusive, no revezamento, nadou para 48”04, lançado.

Tão impressionante quanto o tempo do americano, foi a parcial do Marcelo Chierighini, lançado com 46”85!! Bruno Fratus fechou para 47”15, também fortíssimo! Mais incrível foi ver os brasileiros páreo a páreo com o fortíssimo revezamento americano, terminando com a prata por apenas 2 décimos.

Pra “melhorar” a Hungria terminou surpreedentemente com o bronze, após a desclassificação australiana. Então a torcida foi a delírio, muito emocionante!

4x100 livre masculino final brasil medalha budapeste 2017

4×100 livre feminino

A prova em si foi incrível do começo ao fim. Começou com Sarah Sjostrom simplesmente batendo o RECORDE MUNDIAL dos 100 livre na abertura do revezamento sueco com 51”71!!!

Depois disso ficou até difícil analisar a prova né? Mas como conjunto americano e australiano são melhores, não teve jeito pra Suécia. Estados Unidos acabaram com o ouro por pouco, somando 3’31”72, muito próximas do recorde de campeonato, seguidas pelas australianas com 3’32”01.

A Holanda, com um final de prova absurdo de Ranomi Kromowidjojo (51”98) terminou com o bronze com 3’32”64.

4x100 livre feminino final estados unidos budapeste 2017

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »