Natation-Camille-Lacourt-de-Budapest-a-Budapest_image_article_large

O oitavo dia de Mundial

30 de julho de 2017

Mundial Budapeste 2017Nenhum comentário em O oitavo dia de Mundial

Oito dias, onze recordes mundiais e cinco medalhas brasileiras depois, acabou. A natação no Mundial de Budapeste chegou ao fim com tempos muito fortes e momentos que os amantes da natação lembrarão por muito tempo.

Camille Lacourt finalizou a carreira hoje de forma perfeita: ganhando o tricampeonato mundial do 50 costas. “Estou muito feliz com a minha vitória, mas principalmente com o fato de que pude encerrar a carreira desse jeito. Meu sonho era estar no pódio na última competição da minha vida e poder estar no lugar mais alto é simplesmente incrível”. O francês estava muito emocionado durante o hino francês, tocado pela primeira vez na Duna Arena.

le-francais-camille-lacourt-en-or-sur-le-podium-du-50-m-dos-aux-mondiaux-le-30-juillet-2017-a-budapest_5923614

Outro hino que tocou, esse pela segunda vez na semana, foi o húngaro – de novo pelas mãos de Katinka Hosszu. Confesso que não imaginava um tempo forte hoje, e sim uma prova apertada mas com vitória da nadadora. Mas Hosszu, mesmo depois de um extenso programa de provas na semana, venceu com a quarta melhor performance já feita na história da prova, batendo seu próprio recorde de campeonato. Nenhuma nadadora antes dela havia ganhado quatro medalhas de qualquer cor em diferentes Mundiais nessa prova, e hoje ela ganhou sua quarta medalha de 400 medley.. de ouro. O dado falo por si. E sua felicidade com o quanto a torcida gritava seu nome era perceptível para todo mundo que estava presente.

Budapest+2017+FINA+World+Championship+Day+74_JSsylyULl

Lily King teve um dia memorável: bateu o recorde mundial da primeira prova do dia, o 50 peito, e duas horas depois fez parte do revezamento 4×100 medley dos EUA que venceu também com recorde mundial. Um ano depois dos Jogos do Rio, fica claro que seu ouro por lá não foi um acaso: Lily King é a mulher a ser batida no nado peito na atualidade.

Excelente disputa no 1500 livre, com Gregorio Paltrinieri e Mykhailo Romanchuk, ucraniano de 20 anos que chegou à sua primeira medalha de Mundial. O italiano, que agora é bicampeão mundial da prova, além de campeão olímpico, abriu nos últimos 300 metros, mas Romanchuk fez uma bela pressão. Seu tempo, 14’37”14, o coloca como o nadador mais rápido da história da prova, atrás apenas do recordista mundial Sun Yang, Paltrinieri e o lendário Grant Hackett.

Budapest+2017+FINA+World+Championship+Day+NeL3GmAz6Xjl

Para encerrar, foi muito lindo ver Brandonn Pierry emocionado depois de chegar à sua primeira final de Mundial. Um nadador conhecido por ser dedicado ao extremo e apaixonado por natação, e que não conteve a emoção ao ver que estava na final da competição mais forte do mundo. Sua frase após conseguir a classificação resume bem o espírito: “agora na final vou me divertir e fazer o que mais gosto, nadar”.

Que venham os próximos.

 

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »