O quarto dia de Mundial

26 de julho de 2017

Mundial Budapeste 20172 comentários em O quarto dia de Mundial

Mesmo depois de uma terça-feira com quatro recordes mundiais, esse Mundial de Budapeste parece se superar a cada dia. Não tem etapa ruim.

Ver uma invencibilidade ser quebrada sempre traz dois sentimentos antagônicos: de um lado, sentir a alegria de quem superou o que parecia impossível; de outro, a tristeza de quem foi superado. Mas se tinha alguém para ganhar de Katie Ledecky, que bom que foi Federica Pellegrini. Lenda italiana, ela está há simplesmente 13 anos na elite do 200 livre no mundo. Desde sua primeira medalha olímpica em Atenas, em 2004, ela subiu em todos os Mundiais de piscina longa na prova desde então.

Além da marca, a prova em si foi linda de ver. O tempo para vencer, de fato, não foi tão forte como se esperava, e Ledecky pirou frente a semifinal e à marca feita para vencer nas Olimpíadas do Rio. Mas há momentos em que uma boa disputa vale quase mais do que um recorde mundial; natação é sempre sobre o tempo, mas é também sobre fazer a prova certa na hora certa e ter o que é necessário para vencer. Ver Federica fechando para 28”8 e buscando todo mundo foi inacreditável. A comemoração dela já diz tudo.

Budapest+2017+FINA+World+Championship+Day+pM5z6dw7Q7ol

E se ouvir o hino italiano uma vez já fo lindo, que bom que ouvimos duas: Gabriele Detti venceu uma prova fortíssima, deixando claro que ele não é só o coadjuvante de Gregorio Paltrinieri nas provas de fundo. É impressionante pensar que o país tem dois medalhistas do 800 livre, dois medalhistas do 1500 livre nas últimas Olimpíadas, e ontem colocou também uma mulher no pódio do 1500 livre.

IMG_7649

O outro lado da moeda foi ver Katie Ledecky tendo que responder perguntas logo após perder pela primeira vez. Sem dar desculpas, ela respondeu calmamente às perguntas “o que deu errado?”, “qual era a estratégia”, “o que está acontecendo essa semana”, dizendo objetivamente que ainda não sabia como tinham sido os parciais e que essa prova, que está sempre aprendendo e que essa prova vai motivá-la para frente.

Teve ainda a medalha de João Luiz Gomes Junior, e essa foto tocante do momento em que ele finalmente olha para sua primeira medalha de Mundial. “Não dá pra descrever essa sensação. É a concretização de um sonho, de uma meta. Estou muito feliz pelo início do meu ciclo Olímpico. Eu vou estar em 2020. Vou lutar por isso. Não nadei muito bem os 100m e fiquei de fora da final por uma fatalidade. (…) Estamos mostrando para o mundo que a natação não tem idade. Fico muito feliz por esse vice-campeonato e eu quero mais. Vou trabalhar, vou lutar pra ser o segundo homem a entrar na casa dos 25”

Joao Gomes Jr. Campeonato Mundial de Desportos Aquaticos. Duna Arena. 26 de Julho de 2017, Budapeste, Hungria. Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Joao Gomes Jr. Campeonato Mundial de Desportos Aquaticos. Duna Arena. 26
de Julho de 2017, Budapeste, Hungria. Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

A prova mais esperada do dia pela torcida, o 200 borboleta masculino, não saiu da forma como os milhares de presentes esperavam. E ainda assim, parece que não tinha como ser mais bonita. Chad Le Clos chorou quando saiu da piscina, quando subiu no pódio, e estava emotivo na sala de imprensa. Seu pai também: ele estava sentado do meu lado enquanto o filho dava a conferência e não se conteve quando o filho falou dele, em um momento muito lindo.

Le Clos sabia o quanto seria especial para Cseh ganhar aquela prova, e levantou o braço do adversário ainda na piscina. No pódio, Cseh também estava contendo o choro. Os dois deram a entrevista coletiva juntos e falaram sobre a importância de não odiar seu adversário. “Como eu posso odiar uma pessoa que tem o mesmo sonho que eu?”, foi a frase de Le Clos. Em tempos de nadadores que não se cumprimentam na piscina, ouvir algo como isso é um alento.

Budapest+2017+FINA+World+Championship+Day+MhgDvSHzPXSl

Por falar em torcida, a entrada da Arena estava um show a parte. Vimos várias pessoas com plaquinhas pedindo ingressos para comprar – todos os dias estão esgotados até o final da competição. Uma competição de natação com ingressos esgotados em uma arena em que cabem 10 mil pessoas: isso é um sonho ou é de verdade?

Que bom seria se todas as quartas-feiras fossem assim.

PS: Vai Etiene!

Posts relacionados

2 comentários em "O quarto dia de Mundial"

  1. Caio disse:

    Belíssima etapa!!! Quantos momentos marcantes…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »