mens4x200freesyle-medal-2017-world-champs

O sexto dia de Mundial

28 de julho de 2017

Mundial Budapeste 2017Nenhum comentário em O sexto dia de Mundial

O Mundial vai chegando ao fim. Restam apenas duas etapas para o fim da competição, mas já podemos dizer que ela está muito forte. Além dos recordes mundiais, várias provas estão com tempos mais difíceis do que os Jogos do Rio para entrar na final. É o início de um novo ciclo e o tempo não para; quem nadou bem no último quer manter a boa fase, quem nadou mal quer dar a volta por cima. E assim a natação vai evoluindo.

O dia foi russo. Yulia Efimova e Anthon Chupkov no 200 peito e Evgeny Rylov no 200 costas venceram e ouvimos o hino da Rússia três vezes. Enquanto a primeira é uma das principais nadadoras de todos os tempos do país – chegou hoje à sua 12a medalha de Mundial, sendo a quinta de ouro – os demais são jovens de 20 anos. Os dois estiveram nos Jogos Olímpicos da Juventude de Nanjing, há três anos, mostrando que a competição de fato reúne grande parte dos nadadores para brilhar nos próximos anos.

yuliaefimova-cropped_xpw7m5co05bx1rs1iudvo3f28

No 200 peito que teve a consagração de Efimova, foi legal ver Bethany Galat chegando em segundo lugar. A nadadora ficou a 13 centésimos das Olimpíadas do Rio ano passado, ao terminar em terceiro lugar na seletiva americana, e um ano depois chega ao pódio do Mundial.

O grande nome do dia foi Caeleb Dressel. Confesso que esperava que ia demorar mais para alguém chegar perto do recorde mundial de Michael Phelps no 100 borboleta, feito em uma das minhas provas preferidas dele, naquele Mundial de Roma, batendo Milorard Cavic pela segunda vez.

Amanhã Dressel tem uma tarefa difícil pela frente. Nadará as finais do 50 livre e do 100 borboleta na raia 4, a primeira e sétima provas do dia. Ele terá mais tempo de descansar do que hoje, mas ainda assim, no sétimo dia de finais, já tendo nadado o 100 livre, 4×100 livre, 4×100 medley misto e as eliminatórias e semi da prova, não vai ser fácil.

A expectativa pelo 50 livre é grande para os brasileiros. Bruno Fratus está muito bem, tem totais condições de bater na frente de Dressel e de todos os demais. Cesar Cielo se classificou com o oitavo tempo, por pouco não ficou de fora da final, mas não tem muito como duvidar de um cara que foi, além de campeão olímpico, o único tricampeão mundial da prova até hoje. A prova abre a competição, as 12h30. É dia de inventar uma desculpa para almoçar mais rápido, melhorar a internet do celular, enfim: dar um jeito para assistir. É 50 livre e tem Fratus e Cielo.

Cesar Cielo, Bruno Fratus. Campeonato Mundial de Desportos Aquaticos. Duna Arena. 28 de Julho de 2017, Budapeste, Hungria. Foto: Simone Castrovillari/SSPress/CBDA

Cesar Cielo, Bruno Fratus. Campeonato Mundial de Desportos Aquaticos. Duna Arena. 28 de Julho de 2017, Budapeste, Hungria. Foto: Simone Castrovillari/SSPress/CBDA

Por fim, muito legal o revezamento 4×200 livre da Grã Bretanha vencendo. Os nadadores Stephen Milne e Nicholas Grainger estavam na coletiva de imprensa após a vitória e falaram muito sobre a união dos nadadores, que chegaram ao bi Mundial. Ano passado, o revezamento foi vice campeão olímpico. Especialmente Grainger estava muito feliz: ele nadou apenas as eliminatórias no Mundial de Kazan, e assistiu ao hino da arquibancada; e não se classificou para o Rio, que assistiu da TV. Hoje, fez questão de lembrar do nadador Calum Jarvis, que passou pelo menos que ele em Kazan: nadou a eliminatória mas não esteve na final.

World champions!!!! Shout out to @calum.jarvis couldn’t have done it without you mate!!!!

A post shared by Nick Grainger (@nick__grainger) on 

PS: Sim.. até a Sarah Sjostrom trava de vez em quando.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »