Segunda etapa eliminatória foi a vez dos velocistas

4 de dezembro de 2014

Mundial Doha 2014Nenhum comentário em Segunda etapa eliminatória foi a vez dos velocistas

Acordando um pouco ainda de ressaca pelos feitos de ontem da espanhola, mas sem muito tempo para reflexão, pois ninguém está de brincadeira por lá. Nem mesmo nas eliminatórias.

Hoje foi uma excelente etapa para os brasileiros, classificando-se praticamente para todas as semifinais, e passando para a final nos três revezamentos do dia. Sim, três.

4×50 medley masculino
Os brasileiros passaram com o quarto tempo, com Henrique Martins (23”90), João Luiz Jr. (26”29), Nicholas Santos (22”36) e João de Lucca (20”93). A tendência é substituir pelo menos três dos integrantes, colocando os melhores tempos: Guido, França e Cielo. Russia classificou-se com o melhor tempo, batendo o recorde mundial da prova. Mas sem muito alarde, pois os quatro primeiros países, inclusive o Brasil, nadaram abaixo do recorde e hoje à tarde ele deve ser destroçado.

100 livre feminino
Larissa Martins passou para a semi com folga e tem grandes chances de se classificar para a final de tarde, ainda mais nadando próxima ao seu recorde sulamericano feito no Finkel. Seu tempo foi o 11º com 53”19. Lá no topo da lista, a briga pega fogo entre Sarah Sjostrom e Femke Heemskerk empatadas com 52”44 e a campeã olímpica da prova Ranomi Kromowidjojo com 52”66. Alessandra Marchioro terminou em 21º com 54”00.
Tempo para semi: 53”57

400 medley masculino
Uma das únicas provas sem classificação brasileira. Thiago Simon foi o nosso representante, terminando em 15º com 4’09”07, três segundos pior que seu tempo na seletiva em agosto. Na final, estão Kosuke Hagino, que acredito não ter dificuldades para vencer (mas posso errar veio, vide Mireia), Tyler Clary e Daiya Seto.
Tempo para final: 4’07”47

50 borboleta feminino
Agora sim Sarah Sjostrom está se sentindo em casa. Começou a competição com a não-classificação dos 200 borboleta, mas sabemos bem que fica à vontade mesmo é nas provas rápidas. Passou com o melhor tempo para a semi com 25”08, seguida por uma das favoritas Jeanette Ottesen com 25”39. Muito bem também as brasileiras. Daynara de Paula está com o 6º tempo, melhorando sua marca pessoal e chegando próxima ao recorde sulamericano com 25”81. Daiene Marçal também se classificou, ali na trave com o 16º tempo fazendo 26”11.
Tempo para semi: 26”11

Captura de Tela 2014-12-04 às 08.45.30

50 livre masculino
Cesar Cielo não quer só vencer, ele quer recorde mundial. Pode não ter declarado oficialmente, mas acho que nem precisa. Iniciou bem o processo, classificando-se fácil em primeiro para a semi com 21”00. Mas, para alcançar seu objetivo, precisa bater na frente de Florent Manaudou e Vladimir Morozov, principalmente, que também estão muito bem classificados. E teremos outro brasileiro disputando vaga na final: Alan Vitória passou com o 16º tempo: 21”62.
Tempo para semi: 21”62

100 medley feminino
Katinka Hosszu
passou com o primeiro tempo e novo recorde de campeonato. Como a eliminatória de ontem também foi bem agressiva e vimos no que deu, vamos aguardar os próximos capítulos, mas seu tempo é indiscutível: 56”99. Ela é a única nadadora que já baixou os 57 segundos e tem um trunfo nessa prova: não terá a algoz espanhola. Mas terá as peitistas Ruta Meilutyte e Alia Atkinson. Prova não teve nenhuma brasileira.
Tempo para semi: 1’00”64

4×200 livre masculino
Pausa para o tempo de João de Lucca abrindo o revezamento brasileiro: 1’42”02. Esse tempo simplesmente lhe daria bronze na prova individual, tirando Ryan Lochte do pódio e é apenas 1 centésimo acima do recorde sulamericano. Voltando à prova, os brasileiros classificaram-se com o terceiro tempo, mas dessa vez sem poupar ninguém. Gustavo Godoy (1’44”22), Fernando Ernesto (1’44”24) e Gabriel Ogawa (1’45”02) somaram 6’55”50, destruindo o recorde sulamericano.

4×50 medley misto
E para finalizar a etapa classificatória, Etiene Medeiros (26”44), João Gomes Jr. (26”34), Henrique Martins (22”56) e Daiane Oliveira (24”26) classificaram-se para a final com o 5º tempo: 1’39”60. As possibilidades para a final são inúmeras, mas eu acredito que a melhor opção seja manter Etiene, e acrescentar Felipe França no peito, Daynara no borbo e Cielo fechando no livre.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »