jennie johansson 50 peito kazan

Os QUATRO melhores momentos do último dia em Kazan

9 de agosto de 2015

Mundial Kazan 2015Nenhum comentário em Os QUATRO melhores momentos do último dia em Kazan

O último dia de competição só pode ser definido com uma palavra: estranho. “Desaparecimentos”, zebras e resultados bem inesperados. Outros bastante esperados: três campeões repetiram o feito de Barcelona. Dentre os feitos do dia, os melhores foram:

4- A parcial de McEvoy

O australiano não nadou como se esperava nesse mundial. Entrou em Kazan como líder do ranking nos 100 livre, mas acabou com a prata atrás do chinês. Estava com o terceiro tempo do ano nos 200 livre e sequer subiu ao pódio. Mas fechou brilhantemente o revezamento para 46”60, saindo da quarta para a segunda posição, e por muito pouco não tomando o ouro americano. Prata para a Australia por 15 centésimos.

revezamento masculino kazan 4x100 medley

3- A mais nova protagonista

Pra não falarem que o ouro nos 100 livre foi sorte, ou um evento isolado, a australiana Bronte Campbell foi lá e venceu também os 50 livre com 24”12. Desde que Britta Steffen venceu ambas as provas de velocidade em Roma, o feito não foi repetido mais em Mundiais.

bronte campbell kazan 2015 2

2- O bi-campeonato de Lacourt

Mais do que o feito de conquistar o título da prova pela segunda vez consecutiva foi o tempo feito pelo francês. Seus 24”23, além de ser o melhor tempo do ano disparado, também é um o segundo melhor tempo feito sem trajes (o primeiro é dele mesmo) e o quarto melhor tempo da história da prova. A dominância de Camille Lacourt nos 50 costas é impressionante. Dos 9 melhores tempos feitos sem traje de todos os tempos, 8 são dele.

camille lacourt kazan 50 costas

1- A zebra

Até os 25 metros, a prova parecia já ter um rumo certo. O que era para ser um ouro lituano de certa forma fácil, transformou-se uma das mais disputadas provas da competição, com a definição apenas na chegada, com 15 centésimos separando a primeira da quinta colocada. E o rumo mudou completamente de sentido, dando o ouro a sueca Jennie Johansson, a prata para a jamaicana Alia Atkinson e o bronze para a russa Yulia Efimova, tirando Ruta Meilutyte, a recordista mundial, do pódio por 1 centésimo. Linda a reação da sueca que com certeza não esperava esse título.

jennie johansson 50 peito kazan

Menção Honrosa: Bronte não só venceu os 50 livre, como foi responsável direta pelo bronze no 4×100 medley australiano, fechando para 51”78.

Pior do dia: O sumiço de Sun Yang

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »