Os SEIS melhores momentos do quarto dia em Kazan

5 de agosto de 2015

Mundial Kazan 2015Nenhum comentário em Os SEIS melhores momentos do quarto dia em Kazan

Um dia bom para os brasileiros. Ao contrário dos três primeiros dias. 4 classificados para a final em 3 provas, com chance de medalha em todas. A etapa ficou com recorde mundial “apenas” no revezamento misto britânico, o que pode parecer que não foi uma etapa tão boa, mas vamos lembrar cinco motivos de que hoje foi um dia excelente:

6- Mais uma final para Chierighini

Marcelo Chierighini repetiu o feito de Barcelona em 2013 e classificou-se para mais um final da prova mais nobre da natação. O brasileiro estará com o sexto tempo e tem boas chances de conquistar uma medalha, ainda mais com a ausência do russo. A prova está completamente em aberto, com os principais adversários do brasileiro sendo Nathan Adrian e Cameron McEvoy, além do hermano Federico Gabrich.

Marcelo Chierighini. Campeonato Mundial de Desportos Aquaticos no Kazan Arena. 05 de agosto de 2015, Kazan, Russia. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Marcelo Chierighini. Campeonato Mundial de Desportos Aquaticos no Kazan Arena. Foto: Satiro Sodre/SSPress

5- Mais uma final para Etiene

Etiene Medeiros está classificada para a final dos 50 costas com o segundo tempo, em busca de repetir o título do mundial de curta ano passado. Quem sabe repetir também o recorde mundial. Também esteve na final dessa prova em Barcelona, onde terminou na quarta colocação, que é a melhor colocação da natação feminina brasileira até hoje.

Etiene Medeiros. Campeonato Mundial de Desportos Aquaticos no Kazan Arena. 05 de agosto de 2015, Kazan, Russia. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Etiene Medeiros. Campeonato Mundial de Desportos Aquaticos no Kazan Arena. Foto: Satiro Sodre/SSPress

 

4- Ledecky imbatível

Sim, nas provas dos 400, 800 e 1500, a certeza é quase absoluta de ouro com a americana em qualquer competição que nade. Só não é absoluta, porque vai que desclassifica que nem o Morozov hoje né? (bate na madeira). Mas os 200 livre feminino era uma das provas mais incertezas da competição, pelo excesso de nomes fortes presentes. Mas Katie Ledecky tinha um feito a manter: a invencibilidade em campeonatos mundiais e Olimpíadas. Sim, ela nunca perdeu nenhuma prova.

katie ledecky kazan 200 free livre

3- Ouro em Mundial depois de 10 anos

Laszlo Cseh é um fenômento pouco reconhecido. Talvez por ter nascido na mesma época de Phelps e Lochte. O húngaro mantém-se no topo do mundo há mais de uma década. Desde o 2003, Cseh sobe ao pódio em TODOS os mundiais de longa em pelo menos uma prova! E olha que não estamos falando de revezamento, são todas provas individuais. Hoje levou o ouro depois de 10 anos, quando ganhou da última vez no Mundial de Montreal os 400 medley.

laszlo cseh kazan 200 fly borbo

2- Primeira final depois de parar em 4 semifinais

Henrique Rodrigues desde 2009 está entre os 16 melhores do mundo em Campeonatos Mundiais e Olimpíadas. Nos mundiais de 2009, 2011 e 2013 e nas Olimpíadas de 2012, não conseguiu passar para a final. Esse ano, mesmo não fazendo uma boa prova, conseguiu passar com o sétimo tempo e se vier com a vontade que nadou a final do Pan, tem boas chances de subir ao pódio.

Henrique Rodrigues. Campeonato Mundial de Desportos Aquaticos no Kazan Arena. 05 de agosto de 2015, Kazan, Russia. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Henrique Rodrigues. Campeonato Mundial de Desportos Aquaticos no Kazan Arena. Foto: Satiro Sodre/SSPress

1- Sun Yang sendo San Yang

Sério, se eu fosse adversária do chinês, eu ficaria bem brava. Sun Yang não está muito preocupado com o tempo que vai fazer, desde que bata na frente. Quase sempre isso resulta em um tempaço, mas não é o que importa naquele momento. Em uma competição que entrou meio desacreditado (pelo menos por nós, devido aos incontáveis problemas que enfrentou nos últimos meses), está fazendo muito bonito. Se Ledecky é a mulher do fundo, Sun Yang é o cara. E mesmo em uma das vezes em que houve mais potenciais adversários das provas, Sun Yang soube fazer o que ele faz de melhor: cozinhar. Hoje cozinhou tanto o italiano, que poderia virar Chef. Deixou os últimos 100 metros para brincar e levar ainda com um segundo de vantagem. E olha que Paltrinieri também fechou muito forte, batendo o recorde europeu da prova.

sun yang kazan 2015

Menção honrosa: É muito legal assistir a revezamentos mistos.  A alternância de posição leva o povo à loucura e nós aqui também. Qualquer distância é alcançável. Mesmo hoje não tendo tanta emoção, já que 7 países usaram a mesma estratégia e no fim das contas não houve uma super busca, até os últimos metros ficamos nos perguntando se a equipe que está atrás com um homem vai ou não pegar o líder com uma mulher.

Piores do dia:

2- A desclassificação de Morozov em casa

1- O “abandono” de Cesar Cielo

 

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »