Sete melhores momentos do primeiro dia em Kazan

2 de agosto de 2015

Mundial Kazan 2015Nenhum comentário em Sete melhores momentos do primeiro dia em Kazan

Olha, no fundo no fundo, o primeiro dia talvez tenha sido estranho pois não houve nenhuma novidade, pensando bem. Apostávamos em renovações no topo do pódio, mas tudo o que vimos hoje foi quase um deja-vu de Barcelona. Sun Yang campeão. Katie Ledecky campeã. Revezamento francês masculino campeão. Revezamento australiano feminino campeão (esse último havia ficado em segundo em 2013, mas era franco favorito).

Então, afinal, o que teve de bom hoje? Muita coisa. Tanta que, ao invés de cinco, menciono sete:

7- O revezamento francês imbatível
Não é para tanto, mas que eles não perdem desde 2012, isso é um fato. Parece que aquela derrota de 2008 foi tão amarga, mas tão amarga, que eles prometeram nunca mais perder a prova. Por enquanto estão cumprindo. Aliás, não sei nem porque resolvemos tirá-los do pódio na previsão. Contávamos com um Stravius cansado, um Gilot velho, um Manaudou desmotivado… pois Stravius esteve melhor do que nunca, Gilot deu caldo nos novinhos e Manaudou foi Manaudou. Resultado: ouro, com média de 47 segundos, com destaque para o mais velho da turma Fabien Gilot com parcial de 47”08 e reação de troca de 0.00.

florent manaudou fabien gilot mehdy mettela kazan 2015

6- A travada que todo mundo gostaria de ter
Ah se minhas travadas fossem assim… passar pra 1’57”1 e voltar para 2’02” realmente demonstra em números o que vimos em braçadas. Ou melhor, pernadas. Katie Ledecky me fez acreditar num 3’56”. Mas durou uns 10 segundos. Logo, percebeu-se o cansaço da americana, que chegou a nadar um corpo a frente de seu recorde mundial de 3’58”37, mas teve que se contentar com o recorde de campeonato: 3’59”13. Pois é, para quem não parou para calcular, a travada da americana resultou em um terceiro melhor tempo da história dos 400 livre. Só Ledecky consegue cansar, fazendo bonito…

katie ledecky 400 free livre kazan 2015

5- Empate: Manaudou e Nicholas
Alguém esperava esse 22”8 do francês logo nas semifinais? Nós não. Com uma saída e um submerso avassaladores, Florent Manaudou a cada queda n’água mostra que prova de 50 metros é com ele, seja de qual estilo for. Esse tempo já é melhor que o feito por Cesar Cielo para conquistar o ouro em Barcelona. É o melhor tempo dos últimos 2 anos, inclusive, tomando a liderança do ranking de 2015 de Nicholas Santos. Nicholas, que levou a primeira semifinal, deu um entrevista após a prova com barba má-feita! Sim, hashtag ousadia e alegria. O que nos deixa bem confiantes para vê-lo brigando pelo ouro amanhã e conquistando sua tão merecida medalha em piscina longa. Seu tempo de hoje foi 23”05, bem consistente.

Nicholas Santos. Campeonato Mundial de Desportos Aquaticos no Kazan Arena. 02 de agosto de 2015, Kazan, Russia. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Olha aí a barba mal feita Foto: Satiro Sodre/SSPress

4- Katinka e o segundo melhor tempo da história
Katinka fez força. Então eu não a vejo nadando para tempo melhor que esse amanhã na final, só para manter a tradição. O ouro dificilmente escapa, mas repetir esses 2’06”84 de hoje, segundo melhor tempo da história e melhor tempo sem trajes, veremos. Tempo incrível e novo recorde europeu (que já havia batido pela manhã, nas eliminatórias). E para comprovar sua superioridade, teve a melhor parcial de borbo (27”44), a melhor parcial de costas (32”12), a melhor parcial de crawl (29”97) e a quarta melhor parcial de peito (37”31) das 16 semifinalistas.

katinka hosszu

3- O nível dos 100 peito
Não só os tempos dos dois primeiros classificados: Adam Peaty e Cameron van der Burgh. O nível da prova está mais forte que do último Mundial, onde para passar à final foi necessário 59”92. Dessa vez, 12 nadadores fizeram abaixo disso. Hoje, para final foi necessário 59”75. Isso não justifica a não classificação dos brasileiros, principalmente de Felipe França que há 2 semanas nadou para 59”21, tempo que lhe daria a raia 6 na final de amanhã. Com a ausência dele, a briga pelo ouro fica entre o britânico e sul-africano. Mas depois do que vimos de Adam Peaty hoje, fazendo o segundo melhor tempo da história da prova, entra ainda mais como favorito na final. Cameron nadou para o melhor da vida, baixando sua marca que era o antigo recorde mundial, que lhe deu o ouro olímpico. Esse 100 peito em Kazan já está histórico, com os dois melhores nadadores de todos os tempos. Só faltou Sprenger…

adam peaty 100 peito breast kazan

2- Ryan Cochrane
Por que não falamos de Sun Yang? Também não sei. Ok, o chinês foi bi-campeão mundial da prova. E no fundo esse segundo lugar dos melhores do dia também vai a ele. Mas ver Ryan Cochrane subindo ao pódio nos 400 livre é algo que nos chama muito mais atenção. O canadense duas vezes medalhista olímpico dos 1500 bem que disse que estava pesado em Toronto. Conquistou pela primeira vez uma medalha em mundiais nessa prova e nos deixa ainda mais empolgadas de assistir aos 800 e 1500, sabendo que também está na briga em duas das mais fortes provas do campeonato.

sun yang james guy ryan cochrane 400 free livre kazan

1- Recorde Mundial
Isso porque ainda foi a semifinal. Sarah Sjostrom não quis nem saber e adiantou o que já era esperado na final, o sub-56. Era questão de tempo para a sueca superar a marca de Dana Vollmer, atual campeã olímpica. Sarah abriu mais de um corpo da segunda colocada com incríveis 55”74, novo recorde mundial e mais de um segundo abaixo da segunda classificada. Sarah ainda voltou para nadar o revezamento sueco para 52”38. O que só me faz lamentar cada vez mais sua ausência nos 200 livre.

sarah sjostrom kazan 2015 wr recorde mundial

Melhor do Brasil: Manuella Lyrio foi a única brasileira do dia a fazer melhor marca pessoal, batendo o recorde brasileiro dos 400 livre nas eliminatórias, terminando na 16ª colocação com 4’10”57.

Manuella Lyrio. Campeonato Mundial de Desportos Aquaticos no Kazan Arena. 02 de agosto de 2015, Kazan, Russia. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Manuella Lyrio. Campeonato Mundial de Desportos Aquaticos no Kazan Arena. 02 de agosto de 2015, Kazan, Russia. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Pior do dia: Repito, a não classificação dos americanos para o revezamento 4×100 livre masculino. Não que fossem os favoritos, mas Jason Lezak deve estar se remoendo no sofá da casa dele de vergonha.

revezamento americano fora kazan 2015

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »