TEMPO REAL: Kazan 2015 – Finais Dia 6

7 de agosto de 2015

Mundial Kazan 2015Nenhum comentário em TEMPO REAL: Kazan 2015 – Finais Dia 6

100 livre feminino

Recorde Mundial: Britta Steffen (GER) – 52”07 (2009)
Recorde de Campeonato: Britta Steffen (GER) – 52”07 (2009)

Sarah Sjostrom passou bem atrás das irmãs australianas. E chegou a vez de Bronte Campbell finalmente levar o ouro e superar a irmã. Bronte já havia mostrado estar muito bem no revezamento 4×100 livre e venceu com 52”52. A sueca ainda ultrapassou Cate chegando com a prata com 52”70 e Cate Campbell, que havia vencido em Barcelona, ficou com o bronze com 52”82.

200 costas masculino

Recorde Mundial: Aaron Peirsol (USA) – 1’51”92 (2009)
Recorde de Campeonato: Aaron Peirsol (USA) – 1’51”92 (2009)

Mitchell Larkin repetindo o feito de Aaron Peirsol, levou os 100 e agora os 200 com o tempaço de 1’53”58, novo recorde oceânico. Ryosuke Irie não consegue fazer jus às perfomances durante o ano e ficou mais uma vez de fora do pódio, mesmo passando os primeiros 100 na frente. A prata ficou com Radoslaw Kazecki que já havia subido no pódio no último mundial, com 1’54”55. O bronze foi para Evgeny Rylov com 1’54”60. Tyler Clary, que subiu nos últimos dois pódios de mundial, terminou apenas na sétima colocação.

200 costas feminino (semifinal)

Recorde Mundial: Missy Franklin (USA) – 2’04”06 (2012)
Recorde de Campeonato: Missy Franklin (USA) – 2’04”76 (2013)

Semifinal 1: Missy Franklin, que acabou de nadar a final dos 100 livre, teve ainda uma boa volta de prova, suficiente para levar a série com 2’07”79. A jovem Daria Ustinova, com a ajuda da torcida, chegou em segundo com novo recorde mundial junior: 2’08”74. Elizabeth Beisel com 2’10”68 deve ficar de fora da final.

Semifinal 2: Emily Seebohm saiu muito bem e já conseguiu abrir uma boa vantagem nos primeiros 50 metros. Mas já nos 100 metros, Katinka Hosszu passou na frente com 1’01”22 e abriu um corpo de vantagem ainda nos 150 metros. E não quis saber de segurar não. Nem ela, nem Emily Seebohm.  A húngara venceu com 2’06”18, novo recorde húngaro. Emily chegou em segundo com 2’06”56 e um final de 32”01.

Para entrar na final: 2’09”16 com 5 nadadoras da segunda série, que foi bem mais forte.

50 livre masculino (semifinal)

Recorde Mundial: Cesar Cielo (BRA) – 20”91 (2009)
Recorde de Campeonato: Cesar Cielo (BRA) – 20”91 (2009)

Semifinal 1: Nathan Adrian ganhou MUITO bem a primeira série com o tempaço de 21”37!!! Melhor marca pessoal e fortíssimo tempo do americano, com o melhor tempo do ano. Incrível.

Semifinal 2: Florent Manaudou saiu muito bem e nadou muito bem para 21”41, intimidado pelo tempo do americano na série anterior. Bruno Fratus nadou muito bem, mesmo saindo mais de meio corpo atrás do francês, algo já meio padronizado. Seu tempo foi de 21”60.

Empate na oitava posição simplesmente com Anthony Ervin e Vlad Morozov. Será um show à parte esse desempate.

200 peito feminino

Recorde Mundial: Rikke Pedersen (DEN) – 2’19”11 (2013)
Recorde de Campeonato: Rikke Pedersen (DEN) – 2’19”11 (2013)

A recordista mundial Rikke Pedersen passou bem na frente nos 50 e 100 metros, com 1’07”42. Ainda mais sabendo do forte final da japonesa. Ainda nos 150 metros, a dinamarquesa continuou como líder, passando para 6 décimos a frente de Watanabe, diminuindo a vantagem. Kanako Watanabe já atacou ainda na impulsão ultrapassando Pedersen e aumentando a vantagem para ser campeã mundial com 2’21”15! A recordista ainda foi ultrapassada pela americana Micah Lawrence com 2’22”46 e um empate triplo inédito em terceiro lugar, incrível, com 2’22”76.

100 borbo masculino (semifinal)

Recorde Mundial: Michael Phelps (USA) – 49”82  (2009)
Recorde de Campeonato: Michael Phelps (USA) – 49”82  (2009)

Semifinal 1: Acho incrível a bloqueada de 10 metros no final das provas de Chad Le Clos, que busca seja lá quem estiver na frente. O sul-africano só não bateu na frente, porque chegou muito mal. Quem levou foi Tom Shields com 51”03. Le Clos fez 51”11.

Semifinal 2: Laszlo Cseh levou a segunda série também bloqueando as últimas três braçadas e faz exatamente o mesmo tempo com 51”03. Nessa série ainda teve o recorde mundial junior do chinês Zhuhao Li com 51”33.

50 borbo feminino (semifinal)

Recorde Mundial: Sarah Sjostrom (SWE) – 24”43 (2014)
Recorde de Campeonato: Therese Alshammar (SWE) – 25”07 (2009)

Semifinal 1: Daynara não teve uma boa saída, mas conseguiu beliscar a sexta colocação com 26”24, um excelente tempo. Muito boa a prova da dinamarquesa, da saída até a a chegada, com fundamentos perfeitos, fazendo 25”27. Quatro nadadoras abaixo dos 26 segundos.

Semifinal 2: Por um centésimo, Sarah bateu o recorde de campeonato com 25”06. Mas sabemos que a sueca é capaz de muito mais que isso. E a tendência é vermos ao menos um 24”8 na final.

E nadar para 25 não foi garantia de final, com 25”93 terminando em nono.

200 peito masculino

Recorde Mundial: Akihiro Yamaguchi (JPN) – 2’07”01 (2013)
Recorde de Campeonato: Daniel Gyurta (HUN) – 2’07”23 (2013)

Gyurta passou em uma posição muito confortável, na quarta posição. Mas o húngaro não é campeão olímpico à toa. Muito menos tri campeão mundial. Possui o melhor final de prova junto com o alemão. Não à toa, ambos começaram a atacar, logo depois dos 100. Marco Koch dessa vez conquistou o tão almejado ouro, levando com 2’07”76. Kevin Cordes ainda conseguiu segurar o final de prova, terminando com a prata com 2’08”06. Gyurta não conseguiu conquistar o tetra-campeonato, mas subiu ao quarto pódio seguido no Mundial com 2’08”10.

4×200 livre masculino

Recorde Mundial: Estados Unidos – 6’58”55 (2009)
Recorde de Campeonato: Estados Unidos – 6’58”55 (2009)

Os americanos preferiram fazer uma estratégia suicida, sabendo que seu time não estava tão bem. Mas a distância de Ryan Lochte não foi tão grande e Conor Dwyer também não conseguiu ganhar uma vantagem confortável. Por outro lado, o time russo, britânico e australiano só cresceram. O terceiro integrante americano ainda conseguiu segurar bem a primeira posição. Mas com James Guy fechando para a Grã-Bretanha, o campeão da prova individual, ficou difícil para os EUA. Mas mesmo assim de tirar o chapéu o desempenho americano que ainda conseguiu segurar a prata, mesmo não sendo favoritos. Russia não teve um bom desempenho. GBR com ouro, EUA com a prata e Australia com o bronze.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »