Missy+Franklin+Swimming+16th+FINA+World+Championships+nJejJ9lrGIql

Aprendendo a superar decepções, por Missy Franklin

13 de novembro de 2015

Notícias1 comentário em Aprendendo a superar decepções, por Missy Franklin

Todo nadador já passou por isso (ou vai passar): fases ruins na piscina. Você treina, se esforça, faz tudo certo, e na competição, o tempo não sai. Às vezes você já espera porque está treinando mal, mas e quando está treinando bem e mesmo assim não vai?

Superar decepções e persistir: não só faz parte da vida de atleta, é a essência do que é ser atleta. Acontece com qualquer um: de base, de ponta,  atletas olímpicos, medalhistas olímpicos.

Missy+Franklin+Swimming+16th+FINA+World+Championships+3a4V5ArFeiblMissy Franklin, quatro medalhas em Londres-2012 com 17 anos, 6 medalhas no Mundial de Barcelona-2013 com 18, demonstrou mais uma vez que é uma grande atleta ao falar sobre isso. É importante saber que as coisas não são fáceis para os ídolos também.

“Você descobre o quanto é forte. Você descobre como é difícil acordar e ir treinar e continuar treinando, ir para uma competição e continuar decepcionada, mesmo sabendo que colocou 110% de esforço todos os dias. Esse é provavelmente um dos piores sentimentos do mundo, saber que você fez tudo que pode, e não chegou onde queria“. 

Depois de Barcelona, Missy não conseguiu repetir os resultados e teve um ano de 2014 e 2015 difíceis na piscina. No 100 costas, prova em que foi campeã olímpica e mundial, não chegou nem ao pódio em Kazan, o que obviamente não a deixou feliz. Sua atitude de falar abertamente sobre isso ao invés de esconder ou adotar postura reativa (que seria compreensível) é importante para que os atletas que a admiram vejam como passar por essas fases é normal para todos, e persistir é necessário.

“Você tem duas opções, pode aceitar e pensar, para que me esforçar tanto e não tirar nada disso, então para que tentar? Ou pode dizer, não vou me render. Vou continuar tentando meu melhor, e vou tentar ainda mais do que antes, e ver onde isso me leva. É uma experiência incrível de crescimento.”

“Acho que em Londres minha carreira só crescia e crescia. Agora, estou num estágio em que tenho altos e baixos. Eu tive essas decepções. E não tinha passado por isso lá, Embora esteja muito difícil passar por isso, você não pode ter uma carreira sem isso. Não tem como ter uma carreira no esporte, esperar se desenvolver como pessoa sem passar por essas decepções como atletas. Por mais difícil que seja, acho que foi bom para mim”. 

 

Posts relacionados

Um comentário em "Aprendendo a superar decepções, por Missy Franklin"

  1. rcordani disse:

    Boa Beatriz, e isso me lembrou o seguinte:

    Com apenas 17 anos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »