10 anos daquele 4×100 livre masculino em Pequim

11 de agosto de 2018

OlimpíadasNenhum comentário em 10 anos daquele 4×100 livre masculino em Pequim

11/08/2008.

Há exatamente 10 anos, no Water Cube em Pequim, aconteceu a final do 4×100 livre masculino, uma das provas mais incríveis e emocionantes da história da natação.

Era o segundo dia de finais de uma Olimpíada que teve 25 recordes mundiais. Desde o início de 2008, várias marcas estavam caindo, uma evolução em parte atribuída à evolução dos trajes de natação – naquele ano, o LZR da Speedo era o principal.

A prova seria a segunda final de Michael Phelps na competição. O americano já havia ganhado o ouro no 400 medley. Se quisesse chegar a oito ouros em uma única edição dos Jogos e superar a lendária marca de Mark Spitz, Phelps não poderia perder nenhuma prova.

Esse revezamento 4×100 era uma das mais difíceis nesse caminho, principalmente pelo grande momento dos velocistas franceses. Liderados pelo então recordista mundial do 100 livre, Alain Bernard, os franceses tinham ainda Amaury Leveaux, Fabien Gilot e Fred Bousquet. No papel, era a seleção mais forte do mundo.

Para colocar ainda mais fogo na prova, Bernard disse um dia antes que eles iriam “esmagar” os americanos. “The Americans? We’re going to smash them. That’s what we came here for”, foi a frase do nadador.

Os EUA teriam Michael Phelps abrindo, seguido de Garrett Weber-Gale, Cullen Jones e Jason Lezak fechando. Para aumentar a tensão da prova, os EUA vinham de uma prata e bronze nas duas últimas Olimpíadas, quebrando ua hegemonia de sete ouros consecutivos, desde que a prova foi introduzida nos Jogos Olímpicos.

Antes da final, vários comentaristas falavam sobre o histórico de Lezak de amarelão. Aos 32 anos, aquela era sua terceira Olimpíada. Quatro anos antes, Lezak havia chegado a Atenas como principal velocista americano, depois de ter ganhado o 100 livre na seletiva do país, mas não passou nem das eliminatórias da prova. Seu melhor resultado individual foi o quinto lugar no 50 livre.

No vídeo abaixo, da transmissão da NBC dos EUA, o comentarista diz: “eu não sei se ele consegue… quantas vezes ele já esteve nessa posição de fechar e não conseguiu?”.

Além de franceses e americanos, os australianos também vinham forte, liderados por Eamon Sullivan, um dos favoritos ao ouro no 100 livre, junto com Andrew Lauterstein, Ashley Callus e Matt Target.

Enfim, chegou a hora da final. E mesmo as mais altas expectativas não podiam esperar o que estava a seguir.

x1080-D-V

Começou com Eamon Sullivan batendo o recorde mundial do 100 livre ao abrir para a Austrália: 47”24. Na raia do lado, Michael Phelps deixava os EUA em segundo com novo recorde americano em uma prova que não era sua especialidade: 47”51.

Garrett Weber-Gale caiu em segundo e colocou os EUA em primeiro lugar com um parcial de 47”02. A partir dai, a briga já era apenas entre americanos e franceses.

Cullen Jones caiu na água com a missão de segurar Fred Bousquet e entregar da melhor forma possível para Lezak, que teria a ingrata tarefa de superar Bernard,8 anos mais novo que ele, o cara a ser batido no 100 livre naquele ano.  Mas Bousquet fez um parcial fortíssimo de 46”63, ultrapassou Jones e entregou para Bernard na frente.

Para muita gente, aquele era o fim. Os comentaristas da TV já falavam sobre o fim da busca de Phelps pelos 8 ouros.

Michael Phelps (L) of the U.S. watches his teammate Jason Lezak as he prepares to swim the final leg of the men's 4x100m freestyle relay final at the National Aquatics Center during the Beijing 2008 Olympic Games August 11, 2008. The U.S. team won the gold medal. REUTERS/David Gray (CHINA)

Nos primeiros 50 metros, Bernard ainda ampliou a diferença frente a Lezak. De novo, quase ninguém acreditava. Era o fim.

“Eu sabia que tinha que parar de pensar. Nunca estive com tanta adrenalina em toda minha vida. Na virada, passou pela minha cabeça que não ia dar”, disse Lezak após a prova.

Mas deu. No maior final de prova de todos os tempos, contra todas as probabilidades, Lezak encostou e passou Bernard, conquistando o ouro por apenas oito centésimos, com novo recorde mundial, para completo delírio dos americanos. Michael Phelps comemorou como nunca tínhamos visto antes.

United States' Michael Phelps, Garret Weber-Gale and Jason lezak, bottom, celebrate winning the gold medal in the men's 4x100-meter freestyle relay final during the swimming competitions in the National Aquatics Center at the Beijing 2008 Olympics in Beijing, Monday, Aug. 11, 2008. (AP Photo/Bob Bukaty)

Lezak fechou 46”06. Dez anos depois, essa continua sendo a parcial de revezamento mais forte da história.

Eu fiz a prova da minha vida na hora certa“, resumiu Lezak. Simples assim.

Com a vitória, o sonho de Phelps conquistar oito ouros em Pequim continuou vivo. Seis dias depois, ele se tornaria realidade. A maior conquista do maior nome da história da natação, um feito que será lembrado para sempre.

Lezak ainda conquistaria uma medalha de bronze na prova de 100 livre (empatado com o brasileiro Cesar Cielo!), coroando a grande competição de sua vida. Ele ainda esteve presente nas Olimpíadas de Londres, encerrou sua carreira com 37 anos e será eternamente lembrado pelos amantes da natação por essa prova sensacional. It’s never over until it’s over…

Nenhum filme, vídeo motivacional, nenhuma história da ficção conseguiria ser mais emocionante do que aconteceu naquela piscina em Pequim:

bal-phelpsgolds-pg-002

Phelps-and-Weber-Gale-Post-Race-min-1

82245297-garrett-weber-gale-jason-lezak-michael-phelps-and-cullen.jpg.CROP.promo-xlarge2

 

x31179246223784719_5

12records.2.600

 

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »