Etiene Medeiros.  Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 17 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Dia histórico para a natação brasileira

17 de julho de 2015

Toronto 2015Nenhum comentário em Dia histórico para a natação brasileira

Etiene Medeiros foi o grande nome do dia, conquistando a primeira medalha de ouro da natação feminina brasileira em PANs. Muito expressivos também os tempos de Guilherme Guido e Felipe França, ambos com boas posições no ranking mundial após as marcas feitas em Toronto.

100 costas feminino
Assim como João de Lucca no 200 livre, essa prova marcou uma mudança de patamar de Etiene Medeiros. Recordista mundial do 50 costas, até hoje Etiene jamais tinha repetido na prova de 100 a performance da prova de 50. Eti sequer tinha índice na prova para grandes competições de longa, enquanto seu 50 livre e 100 borboleta evoluíam.

Mas o foco continuou no 100 costas. Em uma prova espetacular, a escolha se mostrou acertada: Etiene passou forte em primeiro (29”10) e voltou melhor ainda, fazendo 59’’61, novo recorde pan-americano, sul-americano, primeiro ouro individual feminino do Brasil na história do PAN e 6o melhor tempo do mundo em 2015! Uma mudança de patamar que, como Etiene disse na entrevista, “já estava dentro de mim, só precisava colocar para fora”. As norte-americanas Olivia Smoliga (1’00”06) e Clara Smiddy (1’00”49) completaram o pódio.

Foto: Satiro Sodré/SSPress

Foto: Satiro Sodré/SSPress

100 costas masculino 
Ótima prova de Guilherme Guido, fazendo o 7o melhor tempo do mundo (53”35). Notável a história de Guido neste ciclo olímpico: ele foi para os Jogos de 2008, ficou fora da seleção olímpica em 2012, e vem evoluindo muito deste então, melhorando seu 200 costas, o que ajuda muito no 100. O ouro ficou com o vice campeão olímpico Nick Thomas (53”20) e o bronze com Eugene Godsoe (53”96).
Foto: Satiro Sodré/SSPress

Foto: Satiro Sodré/SSPress

400 livre feminino

Se você tem uma raia, você tem uma chance. Emily Overhault, nadando na raia 8 um dia depois de ganhar o 400 medley e ser desclassificada, provou isso nesta noite. A jovem canadense de 17 anos arriscou e passou forte, liderado desde o primeiro parcial. Andreina Pinto forçou a partir dos 200 metros e chegou a diminuir a distância, que chegou a ser de 1.67, para 0.19 faltando 50 metros. Mas Overhault segurou e venceu com novo recorde panamericano: 4’08’’42, contra 4’08’’67 de Andreia. O bronze ficou com Gyllian Ryan em uma prova negativa sensacional: 2’06’’5 e 2’02’’9 (4’09’’46)!

Ótima prova também de Manuella Lyrio, que terminou em quarto com 4’10’’92, novo recorde brasileiro e quase 2 segundos melhor que sua antiga marca.

JIM WATSON / AFP/GETTY IMAGES

JIM WATSON / AFP/GETTY IMAGES

400 livre masculino
A grande estrela da natação canadense confirmou o favoritismo. O dono de duas medalhas olímpicas Ryan Cochrane esperou até o penúltimo dia para nadar (aliás, porque as duas provas de fundo foram deixadas em dois dias seguidos, sem tempo de de descanso?) e venceu com 3’48’’29. Ryan Feeley, dos EUA, chegou a incomodar e virou os últimos 50 apenas meio segundo atrás de Ryan Cochrane, mas o final de prova do canadense é imbatível (ou melhor, só é batido por um no mundo: Sun Yang).

Bronze para Leo de Deus mesmo perdendo muito o estilo durante a prova. Com 3’50’’30 e fechando 57’’57, Leo encerrou a competição com 3 medalhas, um ouro e dois bronzes.

Leonardo de Deus. Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 17 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Leonardo de Deus. Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 17 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

100 peito feminino 
Prova mais fraca do que pela manhã, quando Katie Meili fez a prova mais forte da competição, marcando o segundo melhor tempo do mundo este ano. A jamaicana Alia Atkinson, campeã mundial da prova em piscina curta, fez valer a fama de velocista e passou muito forte, mas a norte-americana voltou melhor. 1’06”26, contra 1’06”59 de Atkinson. Bronze para Rachel Nicol com 1’07”91. As brasileiras Beatriz Travalon e Jhenifer Conceição pioraram frente ao tempo da manhã: Bia nadou para 1’09”23 e Jhenifer acabou desclassificada.

100 peito masculino 
O Brasil repetiu a dobradinha de 2011, com os mesmos personagens: Felipe França em primeiro e Felipe Lima em segundo. Felipe Lima não fez uma prova tão boa, nadando para 1’00”01 , pior do que seu tempo do Maria Lenk. Já França fez uma prova muito forte, dominou do início ao fim e marcou o terceiro melhor tempo do mundo este ano (a marca mais expressiva da seleção brasileira em termos de ranking mundial até agora): 59”21. O bronze ficou com Richard Funk, 1’00”29.

Felipe Lima, Felipe Franca.  Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 17 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

Felipe Lima, Felipe Franca. Jogos Pan-americanos, Natacao no Aquatics Centre. 17 de julho de 2015, Toronto, Canada. Foto: Satiro Sodre/SSPress

50 livre feminino 
Ariana Vanderpool-Wallace confirmou o favoritismo e venceu com relativa “folga” para uma prova de 50 metros: 24”38, um pouco pior do que os 24”31 da manhã, mas suficiente para ganhar o primeiro ouro de Bahamas na natação. A prata ficou com Etiene Medeiros vivendo um dia fantástico: 24”55, 8o tempo do mundo este ano. Bronze para o mito Natalie Coughlin, dona de 12 medalhas olímpicas e sorrindo no pódio do PAN como se fosse sua primeira medalha: 24”94.

ariana

50 livre masculino
Bruno Fratus não teve uma boa reação e isso comprometeu sua prova. O nadador acabou em segundo, com 21”91, cinco centésimos atrás de Josh Schneider, dos EUA, que acabou com hegemonia do Brasil na prova que já durava 5 edições. Bronze para o também mito George Bovell: nadador de Trinidad e Tobago com um bronze olímpica no 200 medley (2004), um bronze de mundial de longa no 50 livre (2013) e classificado para nadar sua quinta Olimpíada.

Screen Shot 2015-07-17 at 11.09.19 PM

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »