Finkel – Etapa 1

20 de agosto de 2012

Resultados, Troféu José Finkel 2012Nenhum comentário em Finkel – Etapa 1

Na primeira etapa, as provas femininas foram dominadas pelas gringas. Apenas os 800 livre que não houve vitória estrangeira. E deve continuar assim durante a semana.

Na prova dos 200 peito feminino, a argentina Julia Sebastian foi quem levou o ouro, representando a Unisanta com 2’28”74. Renata Sander, do Minas Tênis Clube levou a pontuação da prata, mas também levou o ouro, como melhor brasileira, com 2’29”15. Tatiana Sakemi foi a segunda melhor brasileira e terceira da prova, com 2’30”18, seguida por Juliana Marin do Minas com 2’30”44. Todas no pódio.

Nos 200 peito masculino, Tales Cerdeira liderou praticamente toda a prova, chegando a passar os 100 pra 59”72, mas Gabriel Fidelis do Praia Clube venceu nos últimos 25m, com 2’06”82. Tales, do Flamengo, levou a prata com 2’06”96. Henrique Barbosa, também do clube do Rio, terminou com o bronze, com 2’07”79.

O índice do mundial de curta: 2’06”39.
 

Nas semifinais dos 50 livre feminino, 5 nadadoras para 24”, sendo que duas são gringas. O melhor é quem está balizada na raia 4 é brasileira: Alessandra Marchioro do Fluminense com 24”72. A holandesa Inge Dekker, que está representando o Minas, campeã e recordista mundial do 4×100 livre está com o segundo tempo, 24”73. Gracielle Hermann  do GNU com o terceiro tempo: 24”82, a australiana Marieke Gueher, pelo Flamengo, com o quarto tempo: 24”86 e Flavia Delaroli do Pinheiros com o quinto: 24”99. Ainda estarão na final, Larissa Oliveira e Daniele Paoli, também do Pinheiros e Daynara de Paula também do Flamengo.

Tempo para entrar na final: 25”34
Índice do mundial de curta: 24”40
 

Cesar Cielo nadou novamente abaixo do índice e vai se garantindo em Istambul, nos 50 livre masculino. Já havia feito isso nas eliminatórias, melhorou ainda mais na semifinal (isso porque mais tarde falo dele abrindo o revezamento). Com 21”19, está com o melhor tempo para a final de amanhã. Com o segundo melhor tempo, também do Flamengo, Nicholas Santos com 21”40. Bruno Fratus do Pinheiros, está com o terceiro tempo 21”73. Ainda na final estão: Daniel Orzechowski, André Daudt, Gabriel Mangabeira e Marcelo Chierighini, todos do Pinheiros e André Pereira do GNU.

Tempo para entrar: 22”13
Índice do mundial de curta: 21”29
 

Primeiro recorde sulamericano da competição!! Nos 200 costas feminino, Joanna Maranhão do Flamengo melhorou o recorde, que já pertencia a ela mesma: 2’08”34. Mas não chegou na frente não, quem levou os pontos do recorde foi a outra holandesa Femke Heemskerk do Minas com 2’04”72! Direto de Michigan, Ana Carolina Azambuja, representando o Corinthians, também nadou muito bem e terminou em terceiro, levando a prata por ser a segunda brasileira: 2’11”42. Fabíola Molina, pelo Minas, mostrou que também é resistente e levou o bronze, completando o pódio com 2’11”58.

Índice do mundial de curta: 2’06”50
 

Bem disputada a prova dos 200 costas masculino. Quem levou a melhor foi Leonardo Fim do Minas com 1’53”99. Seguido por outro Leonardo, o de Deus, representando o Flamengo com 1’54”10. Fernando Ernesto do Corinthians levou o bronze com 1’54”31.

Índice do mundial de curta: 1’52”15
 

Poliana Okimoto nadou ontem na série mais fraca dos 800 livre feminino e acabou levando o ouro para o Corinthians com 8’40”15. Na série mais forte hoje, Ana Marcela liderou toda a prova, até levou um susto de Bianca Avella nos últimos 50 metros, mas levou a prata para a Unisanta com 8’42”19. Bianca do Corinthians levou o bronze, com 8’42”86.

Taí um índice bem possível de ser feito por Luis Rogério Arapiraca e Lucas Kanieski no Open final do ano. Nos 1500 livre masculino, os dois disputaram lado-a-lado toda a prova, mas Arapiraca da Unisanta levou a melhor com 14’55”55. Kanieski do Minas ficou com a prata: 14’56”35. Lá atrás, Marcos Ferrari, também do Minas, terminou com o bronze: 15’16”44.

índice para o mundial de curta: 14’49”40
 

É tão bom ver a CBDA disponibilizando as parciais, ainda mais de 25 em 25, lindo! Em uma prova que o Pinheiros domina não sei há quantos anos, não teve como nem disputar com duas equipes metade estrangeiras. Nos 4×50 livre feminino, Minas e Flamengo foram os centros das atenções. Minas com uma equipe metade holandesa e Flamengo com uma equipe metade australiana. E o Flamengo-Australia foi quem levou o ouro. Daynara de Paula, Kelly Subbins, Marieke Gueher e Etiene Medeiros somaram 1’38”52 dando os pontos de recorde sulamericano para o time carioca. O Minas-Holanda levou a prata com Inge Dekker, Lorrane Ferreira, Femke Heemskerk e Simone Noronha: 1’39”30. O Pinheiros foi quem acabou ficando com o recorde sulamericano, por só conter brasileiras no time: Flavia Delaroli, Larissa Oliveira, Daniele Paoli e Tatiana Lemos: 1’40”12.

Melhor tempo abrindo: Inge Dekker 24”29
Melhor tempo abrindo brasileiro: Gracielle Hermann 24”84
Melhor tempo lançado: Marieke Gueher 23”84
Melhor tempo lançado braileiro: Lorrane Ferreira 24”78
 

Mas, alucinante mesmo foi a prova dos 4×50 livre masculino. Cesar Cielo abriu para 20”81.  Nicholas dos Santos abriu ainda mais a vantagem flamenguista. Daí foi só os outros dois integrantes fazerem a festa: Bernardo Novaes e Thiago Sickert completarem o revezamento campeão, todos abaixo de 22 segundos: 1’25”28, novo recorde sulamericano. O Pinheiros terminou com a prata: Bruno Fratus, Marcelo Chierighini, Daniel Orzechowski e Walter Lessa: 1’26”89. E o Fluminense ficou com o bronze: Kaio Márcio, Vinicius Waked, Henrique Rodrigues e Claudemir Kirmes: 1’28”76.

Melhor tempo abrindo: Cesar Cielo 20”81
Melhor tempo lançado: Nichola dos Santos 21”01
 

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »