Finkel – Etapa 6

26 de agosto de 2012

Resultados, Troféu José Finkel 2012Nenhum comentário em Finkel – Etapa 6

Mais uma prova onde deu brasileira pra cima das gringas. Fabíola Molina nadou muito bem a prova dos 100 costas feminino e está muito próximo de conquistar o índice, assim como nos 50. Com 58”88, venceu a australiana Kelly Subbins que chegou em segundo, com 59”67. Etiene Medeiros ficou também com a prata, como segunda brasileira, exatamente 1 segundo atrás de Fabiola: 59”88. Natalia de Luccas do Corinthians ficou com o bronze, com 1’00”60.

Índice para o mundial: 58”31

Na semifinal dos 100 costas masculino, já era nítido que na final ia vir um resultado bem mais forte na final. E não deu outra, Guilherme Guido venceu a prova com índice para 50”57. Daniel Orzechowski, que obteve índice na prova de 50, ficou com a prata para 51”48. Leonardo de Deus levou o bronze com 52”43.

Índice para o mundial: 50”98
 

Assim como nos 800, os 1500 livre feminino teve Poliana Okimoto do Corinthians com o ouro, Ana Marcela Cunha da Unisanta com a prata e Bianca Avella do Corinthians com o bronze: 16’36”54 x 16’40”22 x 16’48”11.

E assim como nos 1500, os 800 livre masculino teve Luiz Rogério Arapiraca da Unisanta com o ouro, Lucas Kanieski do Minas com a prata e Marcos Ferrari do Minas com o bronze: 7’49”80 x 7’51”09 x 7’51”57.

Na briga pelo título, tudo que o Minas precisava era de mais uma pontuação de recorde sulamericano. E foi isso que Inge Dekker fez nos 50 borboleta feminino, vencendo com 25”65. A australiana Marieke Gueher do Flamengo ficou com a prata, para 25”72. A melhor brasileira foi Daynara de Paula com 26”00, um pouco pior das eliminatórias e semi. Daniele Paoli ficou com a prata brasileira: 26”41. E Bruna Rocha com o bronze: 26”58.

Índice para o mundial de curta: 25”76

Mas Nicholas Santos não teve a mesma “sorte” nos 50 borboleta masculino, para ajudar o Flamengo. Ficou a apenas 6 centésimos de seu próprio recorde sulamericano e teve que se satisfazer com um recorde de campeonato, com 22”22, estabelecendo o índice. Cesar Cielo ficou com a prata para 22”40, também abaixo do índice. O bronze ficou com Kaio Márcio Almeida, que já foi recordista mundial dessa prova com 22”94.

Índice para o mundial de curta: 22”93

E o campeonato se definiu no recorde sulamericano do 4×100 medley feminino do Minas com as holandesas. Com Fabiola Molina, Renata Sander, Inge Dekker e Femke Heemskerk, somaram 3’58”38. A prata ficou com o Flamengo, com Etiene Medeiros, Joanna Maranhão, Marieke Gueher e Kelly Subbins ficaram com a prata com um longíquio 4’04”26. E o Pinheiros terminou com o bronze com Natalia Diniz, Ana Carla Carvalho, Daniele Paoli e Larissa Oliveira: 4’06”08.

Melhor parcial de costas: 59”20 Fabiola Molina
Melhor parcial de peito:  1’08”30 Renata Sander
Melhor parcial de borbo: 57”71 Marieke Gueher
Melhor parcial de crawl: 52”82 Femke Heemskerk

E nem a vitória do Flamengo nos 4×100 medley masculino com recorde de campeonato. Do Flamengo, Leonardo de Deus, Henrique Barbosa, Nicholas dos Santos e Cesar Cielo, ou seja, o Pro 16, com 3’27”34. Medalha de prata para a equipe do Pinheiros, com Guilherme Guido, Felipe França, Gabriel Mangabeira e Marcelo Chierighini com 3’28”94. E bronze para o Minas com Leonardo Fim, Felipe Lima, Marcos Macedo e Nicolas Oliveira: 3’31”55.

Melhor parcial de costas: 51”16 Guilherme Guido
Melhor parcial de peito: 57”86 Felipe França
Melhor parcial de borbo: 51”01 Kaio Márcio
Melhor parcial de crawl: 45”17 Cesar Cielo
 

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »