O incrível ano de Katie Ledecky

28 de dezembro de 2015

Retrospectiva 2015Nenhum comentário em O incrível ano de Katie Ledecky

Deu gosto de ver o ano de 2015 de Katie Ledecky. Foram cinco medalhas de ouro no Mundial de Kazan, três quebras de recorde mundial em piscina longa, sendo um em prova olímpica – e ela só tem 18 anos.

No Rio-2016, Ledecky é a favorita absoluta ao ouro nas provas de 400 e 800 livre. O nível das suas provas – especialmente o 800 – tem evoluído junto com ela e sabemos que ninguém é imbatível, mas Ledecky tem certamente o favoritismo mais forte no feminino para as Olimpíadas do ano que vem.

Um dos grandes desafios da nadadora está na prova de 200 livre, em que se sagrou campeã mundial este ano. Caso consiga vencer o 200, 400 e 800 livre, Ledecky se tornará a segunda nadadora na história a ganhar as três provas em uma mesma edição dos Jogos, um feito dificílimo. A primeira vez que isso aconteceu foi nas Olimpíadas de 1968, que aconteceram na Cidade do México. Na ocasião, a americana Debbie Meyer venceu as três provas com novo recorde olímpico (no caso do 200 e 800, foi a primeira vez que as provas foram disputadas em Olimpíadas no feminino).

USA's Katie Ledecky poses with the award for the best female swimmer at the 2015 FINA World Championships in Kazan on August 9, 2015. competed in the event.   AFP PHOTO / ALEXANDER NEMENOVALEXANDER NEMENOV/AFP/Getty Images

USA’s Katie Ledecky poses with the award for the best female swimmer at the 2015 FINA World Championships in Kazan on August 9, 2015. competed in the event. AFP PHOTO / ALEXANDER NEMENOVALEXANDER NEMENOV/AFP/Getty Images

Falando em 100 livre, Ledecky pode incluir a prova em seu programa olímpico. Em entrevista ao Today Show após o Mundial, Ledecky disse que provavelmente nadará o 100 livre nos Trials, e talvez o 400 medley, que acontece no primeiro dia e não coincide com nenhuma de suas provas. Seu melhor tempo no 100 livre é 54”55, feito em janeiro no GP de Austin. No 400 medley, seu melhor é o 4’39”18, do GP de Minneapolis. As duas marcas ainda estão longe do que deve ser um tempo para conseguir classificação para as Olimpíadas no time americano, mas quem ousaria duvidar de Ledecky?

De toda forma, antes de pensar no Rio, vale a pena relembrar (e celebrar) alguns dados incríveis do 2015 dessa nadadora americana.

Consistência
Ledecky tem o melhor tempo do mundo no ano no 400 livre, 3’59”13, quase 4 segundos à frente da segunda colocada, Sharon van Rouwendaal, que nadou para 4’03”02 no Mundial. Mas o mais impressionante é que Ledecky nadou sete vezes abaixo da marca de Sharon este ano. Em 2015, Ledecky nadou para 3’59 uma vez, 4’00 uma vez, 4’01 três vezes e 4’02 duas vezes. No 800 livre, em que está nada menos que 10 segundos à frente da segunda colocada no ranking do ano, Ledecky têm quatro das cinco melhores marcas do ano: 8’07, 8’11, 8’13 e 8’16.

Invencibilidade
Com suas 5 vitórias no Mundial de Kazan, Ledecky alcançou um feito incrível: a nadadora jamais perdeu uma prova em Mundiais. Foram 9 disputadas até o momento: 400, 800, 1500 e 4×200 livre em Barcelona e Kazan e 200 livre em Kazan. Todos com medalha de ouro para a americana.

KAZAN, RUSSIA - AUGUST 05:  Katie Ledecky of the United States celebrates winning the gold medal in the Women's 200m Freestyle Final on day twelve of the 16th FINA World Championships at the Kazan Arena on August 5, 2015 in Kazan, Russia.  (Photo by Streeter Lecka/Getty Images) ORG XMIT: 564886605 ORIG FILE ID: 483010122

KAZAN, RUSSIA – AUGUST 05: Katie Ledecky of the United States celebrates winning the gold medal in the Women’s 200m Freestyle Final on day twelve of the 16th FINA World Championships at the Kazan Arena on August 5, 2015 in Kazan, Russia. (Photo by Streeter Lecka/Getty Images) ORG XMIT: 564886605 ORIG FILE ID: 483010122

Recuperação a la Phelps
Ledecky bateu o recorde mundial do 1500 livre na final da prova, depois de já ter batido o próprio recorde um dia antes, nas eliminatórias. 29 minutos depois da vitória, ela voltaria à piscina para se classificar para a final do 200 livre com o sexto tempo (1’56”76), nadando as semifinais.

Versatilidade
Tudo bem que as provas são do mesmo estilo, mas nadar (e ganhar) do 200 ao 1500 livre em um Mundial não é para qualquer uma. Ou melhor, é só para Ledecky: essa foi a primeira vez que isso aconteceu na competição. Tudo bem que o 1500 livre feminino só foi introduzido em Mundiais em 2001, mas se pegarmos apenas o 200-400-800, o feito também é inédito. 

E falando em versatilidade, Ledecky resolveu nadar o 400 medley em uma etapa do Grand Prix. Fez 4’39”18, 24o melhor tempo do mundo este ano, com direito a fechar para 59”94 nos últimos 100 metros.

Quebra de barreiras
Antes do Mundial, a expectativa era que Katie Ledecky fosse a primeira mulher a nadar abaixo de 8’10 no 800 livre. Não só ela fez isso, como já nadou para 8’07”39, baixando em mais de 3 segundos seu próprio recorde mundial. E vale mencionar que a prova aconteceu no penúltimo dia de competição, depois de já ter nadado uma maratona de provas.


Women’s 800m Freestyle Katie Ledecky 8.07… por deportes-plus-3

A prova foi tão forte que fez parecer que o tempo das demais nadadoras foi fraco, sendo que foi um 800 livre bem forte, com recorde da Oceania, recorde australiano e recorde holandês quebrados.

Ledecky por Ledecky

Essa breve entrevista feita logo após o 800 livre, última prova de Ledecky no Mundial de Kazan, mostra um pouco de como ela é publicamente: uma nadadora de poucas palavras e que tem boa consciência de sua força. Ledecky disse que já esperava quebrar a barreira do 8’10 e quem sabe do 8’08 – quebrou as duas. Ledecky fez uma careta quando perguntada sobre provas de maratonas aquáticas, e entre a prova de 5km e de 100 livre, disse que preferiria o 100 livre.

Ledecky também trava
Afinal de contas, ela também é humana. Tudo bem que foi uma travada diferente, afinal ela nadou para 3’59”13, mas Ledecky travou na final do 400 livre. A nadadora arriscou e passou muito forte, para 1’57”13 nos primeiros 200 metros, em busca de seu recorde mundial, e não conseguiu segurar o ritmo. Claro que o tempo final é fortíssimo e adoraríamos travar para 3’59, mas ela mesma fez cara de quem não gostou depois da chegada.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »