Entrevista: Anthony Ervin

Entrevista: Anthony Ervin

16 de setembro de 2014

Entrevista com Bia NantesNenhum comentário em Entrevista: Anthony Ervin

Entrevista por Beatriz Nantes e Carolina Moncorvo

A entrevista dessa semana é com ninguém menos que Anthony Ervin. Campeão olímpico em 2000, mundial em 2001, o velocista norte-americano ficou oito anos longe das piscinas, até retornar a natação em 2011. Desde então, foi finalista individual nas Olimpíadas de Londres e no Mundial de Barcelona, e já está classificado para o próximo Mundial, em Kazan. Aos 33 anos, ele tem o quinto melhor tempo do mundo esse ano no 50 livre. Ervin esteve no Brasil para o Raia Rápida (onde ganhou a prova de 50 livre e fez um ótimo parcial de 21”2 fechando o revezamento), e concedeu essa entrevista exclusiva à Swim Brasil.

 Você já está focando seus treinos para o Mundial de Kazan?
Nós trabalhamos em temporadas de um ano. Então Kazan seria minha próxima grande oportunidade de competir contra os melhores do mundo.

Então você já está treinando para lá?
Todos os dias…

Você tem um objetivo de tempo na sua cabeça, ou prefere nadar rápido e ver o que sai?
Eu prefiro pensar em como estou nadando e deixar as mudanças acontecerem, ver o reflexo no tempo.

Campeão olímpico empatado com Gary Hall Jr, em Sidney-2000

Campeão olímpico empatado com Gary Hall Jr, em Sidney-2000

O que mudou no treinamento de velocidade no tempo em que você ficou parado?
Acho que muita coisa, mas o mais drástico foi aprender a fazer treinamento de força específicos para a água. Sinto que antes, pelo menos nos EUA, os treinadores de força vinham do futebol americano, eles não sabiam nada sobre natação e que tipo de força um nadador precisa.

É impossível para nós não perguntar sobre o Cielo e o Fratus. Como é competir contra eles?
Eu competi contra o Cielo algumas vezes, e claro, ele é incrível. O Bruno é mais novo, ele foi para os EUA e já competimos mais vezes, conversamos, ele é um garoto muito bacana. Eu estive na Austrália com ele, ele me fez um estrago! Ele está nadando muito rápido. [Fratus foi campeão do 50 livre no Pan Pacific com 21”44, seguido por Anthony Ervin com 21”73].

Ervin e Bruno Fratus em GP nos EUA

Ervin e Bruno Fratus em GP nos EUA

Somos fãs de natação e temos curiosidade de saber como é sua rotina, o que você faz além de nadar? Ainda tem uma banda?
Eu brinco com alguns amigos, nada mais do que isso. Há uma banda, mas não desenterramos nada ainda. Ainda estamos na “infância”.

Você é o cantor?
Sim. Agora nós revezamos, todos fazem de tudo. Eu toco um pouco de bateria, mas é só pela diversão, não é nada sério.

E sobre o treino, quantas vezes você treina por dia?
Geralmente duas vezes por dia, as vezes nado duas vezes e levanto peso também. Mas normalmente, eu nado oito vezes na semana e malho 4 vezes.

Voce gostaria de ter competido usando os trajes tecnológicos? Quão rápido você poderia ter sido?
Eu não faço ideia. Nunca coloquei um, não faço ideia de com é. Eu perguntei para alguns nadadores e eles dizem que eu não ia gostar de saber. “Você iria arruinar tudo”, eles falaram. Disseram que eu ia nadar tão rápido que depois me sentiria mal e lento para sempre. Se eles voltassem a ser permitido, ficaria mias do que feliz de experimentar. Mas agora, não tenho desculpas para provar.

Você é um campeão olímpico e Mundial. O que te move hoje?
É o estilo de vida. Sim, sou campeão olímpico e mundial, e acho que esses são os maiores objetivos que você pode atingir. E isso é um dos motivos porque eu parei quando era mais novo. Porque atingi, e não sabia mais o que fazer. Mas agora é o estilo de vida, as pessoas que estão ali. Seja meus companheiros, os técnicos, o staff, a nova geração.

E essa vista, certo?
Sim, como eu perderia isso? Imagina estar sentado em uma escrivaninha em algum lugar…eu me sinto sortudo de poder continuar fazendo isso e poder visitar lugares lindos como esse.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »